Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Na quarta-feira, 25 de abril, o Projeto Rondon seleciona propostas de ações a serem realizadas em julho deste ano, nos Estados do Pará e Piauí. Representando a Universidade Federal de Alagoas, o professor Fabiano Santana dos Santos, do Campus Arapiraca, teve seu plano de ações aprovado pela Pró-reitoria de Extensão (Proex), e caso seja aprovado pelo Ministério da Defesa, deve promover uma verdadeira revolução social no Estado paraense.

A partir de uma abordagem multidisciplinar sobre a realidade do Estado do Pará, Fabiano, em conjunto com o professor Bruno Setton, conseguiu apontar atividades que visam suprir necessidades de várias ordens do povo paraense. O plano de ação abrange atividades nas áreas da Comunicação, Meio Ambiente, Tecnologia e Produção, além de Trabalho.

“Elaborar diversas propostas em áreas bem distintas não é um trabalho fácil. Tivemos que realizar várias pesquisas para traçar um diagnóstico da região onde devem ser implementadas as atividades. Após identificar os principais problemas, pensamos em atividades relacionadas e de simples aplicabilidade”, relata Fabiano.

Desenvolvimento social da região

Com atividades de capacitação multidisciplinares, como construção de fossas sépticas, banheiros secos, criação de cooperativas e utilização de rádios web nas zonas rurais, os professores conseguiram construir um plano de trabalho que contemplasse alunos dos cursos de Agronomia, Engenharia, Turismo, Comunicação Social e Administração. Esses estudantes ministrarão oficinas capazes de modificar o hábito das comunidades atendidas.

Serão oito alunos divididos em 13 atividades, que serão responsáveis por difundir conhecimentos focados na superação das dificuldades locais das cidades atendidas. É o exemplo da oficina de criação de banheiros secos, a ser ministrada por estudantes de Agronomia e Engenharia Ambiental, com o objetivo de criar uma alternativa ecológica em substituição ao banheiro comum, que utiliza grandes quantidades de água para eliminação dos dejetos. “Essa ação torna-se importante pela falta de saneamento e tratamento de esgotos que grande parte das cidades da região Norte sofre“, defende Fabiano.

Outras atividades buscam trabalhar o potencial econômico da região, a partir de experiências apresentadas em locais semelhantes ao Estado do Pará, como a difusão do cooperativismo, o associativismo e o empreendedorismo, que já são bem desenvolvidos naquela região, mas serão abordadas como forma de maior estímulo e aperfeiçoamento dessas ações.

Público atendido


Entre as comunidades atingidas pelo projeto Rondon estão os servidores públicos, que terão acesso a capacitações sobre pregão eletrônico, gestão pública e gerência de projetos. A oferta desses cursos pretende promover o aumento na quantidade de projetos sociais na comunidade e aumentar o comprometimento do gestor público na organização e execução de projetos públicos, resultando na redução de desperdícios, com o aproveitamento dos recursos públicos.

Além deles, agricultores, donas de casas e adolescentes farão parte das oficinas. “Esperamos contribuir de alguma forma para o desenvolvimento sustentável da região, dando mais oportunidades às pessoas daquelas comunidades e tornando-as capazes de serem transformadoras das suas próprias realidades”, diz Fabiano, que também deseja aplicar algumas dessas oficinas no Agreste alagoano.