Alan Mendes Ferreira da Silva, 13, ainda está internado, recuperando-se de tiros na cabeça, na mão e no ombro. Os ferimentos, porém, não o impediram de alertar o sargento Márcio Alves e evitar um massacre ainda maior na escola municipal no bairro de Realengo, na zona oeste do Rio, na última quinta-feira (7).

O estudante, que cursa a 7ª série, afirma sentir falta dos colegas e professores, mas, questionado se quer voltar à escola, é enfático: "Àquela escola não".

Alan se lembra com detalhes da ação do assassino na sala 4 da escola Tasso da Silveira. "Ele chegou na sala, botou tipo uma mala em cima da mesa e tirou a arma e deu um tiro na cabeça da Samira [Pires Ribeiro, 13, que morreu]. Depois ele foi para mim, eu virei a cara, só que o tiro pegou aqui [diz, mostrando o olho esquerdo]. Depois eu joguei a mesa, eu empurrei em cima dele. Ele me deu outro tiro, mas eu consegui levantar."

Mesmo ferido, Alan fugiu para a rua. "Corri na direção da minha casa. Vi uma blitz e gritaram: "tem um menino baleado ali". Disse para a polícia: tem um maluco atirando na gente na escola."

Ontem, o rubro-negro Alan recebeu da presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, a notícia de que será visitado pelo ídolo Ronaldinho Gaúcho, o que o deixou feliz.