Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Ricardo Nezinho

O deputado Ricardo Nezinho (PTdoB) apresentou requerimento, na sessão desta terça-feira, 5, solicitando a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação e os serviços oferecidos pela operadora de telefonia móvel TIM , aqui no Estado.

Nezinho explicou que a criação da CPI, que recebeu assinatura dos 27 deputados da Casa, foi motivada pelos diversos pronunciamentos feitos na tribuna da Assembleia sobre o 'péssimo' serviço oferecido pela operadora.

Outro fato que motivou a criação da Comissão, segundo Nezinho, é a falta de atenção da TIM, que não atendeu ao convite feito pelo Parlamento alagoano para participar de uma audiência pública, realizada por solicitação do deputado Sérgio Toledo (PDT), para discutir o problema.

“Foram convocadas as operadoras, a Anatel, o Procon e outros órgãos. Mas só compareceu o Procon. Ficou visível a falta de atenção em relação à Casa e até mesmo aos consumidores de um modo geral”, ressaltou Nezinho.

O deputado lembrou ainda que fez um requerimento, aprovado pelo plenário, e o entregou em mãos ao diretor regional da Anatel, em Recife, João Batista Furtado, solicitando que o mesmo pudesse dar uma maior atenção ao problema que aflige o Estado, em especial a região Agreste. “Ao fazer esse requerimento da CPI vimos que o problema ocorre em toda Alagoas”, disse o parlamentar.

A CPI será composta por cinco membros, indicados pelo presidente do Poder, deputado Fernando Toledo. A partir daí, terá um prazo de 120 dias para concluir os serviços. Esse prazo pode ser prorrogado por meio de deliberação do plenário da Casa.