Ângelo Farias Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Os Policiais civis de Arapiraca paralisaram as atividades. A greve, acordada em assembléia realizada pelo Sindipol, teve inicio na manhã desta terça (05) e durará por 72 horas.

A categoraia reinvidica aumento salarial e melhores condições de trabalho, já que, de acordo com os profissionais, há quatro anos não há reajuste de salários e há dez não é realizado concurso público. O efetivo não é suficiente.

Segundo o chefe de serviço da Central de Polícia de Arapiraca, Janio Vieira, falta estrutura e equipamentos de trabalho em várias delegacias do interior - como armas e coletes, por exemplo. Além disso, muitas delegacias da região agreste só possuem um policial de plantão, dificultando o atendimento.

Ainda de acordo com Janio Viera, outro agravante é o trabalho dos carcereiros, executados pelos próprios policiais em todo o Estado. Em Arapiraca, a segurança da Casa de Custódia ainda é realizado pelos policiais civis, tirando-os das investigações dos crimes
 

Durante a paralisação, somente os flagrante serão atendidos, tanto na Central de Polícia de Arapiraca, como nas outras delegacias da região. Já boletins de ocorrência e outros atendimentos estão cancelados até o fim da paralisação.