Faltam papel, computadores com Internet, impressora e telefone. Esta é realidade denunciada por alunos do curso de Direito da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), que precisam enfrentar um estágio obrigatório. O Escritório Modelo, reinaugurado em 2008, é uma parceria entre o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) e a UFAL, e tem a função de atender a população carente da parte alta da cidade de Maceió. Ma,s a situação precária está dificultando o atendimento.

O Escritório Modelo presta assistência jurídica junto à Vara de Família e ao Juizado Especial do Poder Judiciário estadual. A prestação de serviço é realizada pelos alunos da Faculdade de Direito de Alagoas (FDA) sob a supervisão e orientação de professores da Coordenação de Prática Jurídica (CPJ).

De acordo com acadêmico do curso de direito da Ufal, Lucas Farias, a sede de atendimento está funcionando em situação precária. Além da falta de equipamentos necessários, parte do teto desabou recentemente durante o atendimento.

“O estágio é obrigatório na Universidade. Nos últimos tempos estamos pagando para trabalhar. Temos que trazer papel, impressoras, além de enfrentamos a falta de computadores e Internet”, desabafa o estudante.

Ainda segundo Lucas, o sistema de condiciamento de ar do local apresentar falhas. “Trabalhos sem ar condicionado, esses dias uma pessoa desmaiou. Por essa falta de estrutura e de respeito não só com os estudantes, mas como para a comunidade, resolvemos paralisar as atividades”, afirmou.

A assessoria da Ufal informou à reportagem do CadaMinuto que o vice reitor Eurico Lobo, recebeu os alunos na última sexta-feira (01), para analisar a pauta de reivindicação.

“Os alunos foram recebidos e todas as reivindicações estão sendo analisadas. Posso adiantar que uma delas é um espaço maior das dependências e a ampliação das linhas telefônicas”, afirmou Lobo.

A assessoria informou ainda que o Escritório Modelo é de responsabilidade da Ufal e do TJ e que o problema do ar condicionado já foi normalizado. Na manhã terça-feira (05), haverá uma reunião foi entre a universidade, o Tribunal e os alunos para a apreciação das reivindicações.