Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A prisão do major do Corpo de Bombeiros Carlos Burity, após denunciar neste sábado, durante incêndio no Pavilhão do Artesanato, em Maceió, a falta de estrutura da corporação, “chocou” até mesmo o prefeito Luciano Barbosa (PMDB), que se manifestou através do seu twitter.

“Essa não pode ser a prática de um estado q lutou pelo fim da ditadura, e q deseja liberdade de expressão. #SoltemBurity”, disse o prefeito no primeiro comentário. Minuto depois, Luciano Barbosa postou um link de uma reportagem da Revista Época mostrando relatos do que foi a ditadura: “Para quem ‘esqueceu’ o que foi a ditadura - http://glo.bo/ik0xDT”.

Entenda

Após o incêndio, Burity deu fortes declarações à imprensa. “Faz 16 anos que sou feito de palhaço, este capacete eu tenho porque fui eu que comprei, nos faltam viaturas e equipamentos” disparou o major.

Na manhã deste domingo, também via twitter, o secretário de Defesa Social Dário César rebateu às críticas do oficial. “As org militares são fundadas na hierarquia e disciplina através dos séculos. Qualquer tentativa de sua inobservância tem q ser reprimida!”, postou.

Logo após a fala do secretário, as redes sociais foram invadidas por pessoas que criticam a prisão, um dos poucos que defendem o secretário é o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB-AL) Omar Coelho: “@dariocesar_ tá no caminho certo.Qto ao Burity,ao invés de chilique,deveria usar os meios legais”.