Hospitais de Belo Horizonte suspendem cirurgias por causa da nova gripe

  • teresa
  • 13/08/2009 14:33
  • Brasil/Mundo
Hospitais de Belo Horizonte deixaram de fazer cirurgias para separar leitos para pacientes contaminados com a nova gripe. Na capital, 807 casos suspeitos da doença estão sendo investigados e 114 foram confirmados. Quatro pessoas morreram por causa da doença no estado.

O Hospital Eduardo de Menezes, referência em doenças infecto contagiosas, reservou nesta quinta-feira (13) mais dez leitos do Centro de Tratamento Intensivo (CTI) para infectados com a nova gripe. Antes, o local era destinado a pacientes que faziam cirurgias eletivas, que não são urgentes.

Segundo o diretor do hospital, Paulo Sérgio Dias de Araújo, as operações foram canceladas. Alguns pacientes foram encaminhados a outra unidade.

No total, estão disponíveis no hospital 20 de leitos na CTI e 34 na enfermaria para pacientes com suspeita da gripe.

No Hospital Risoleta Tolentino Neves são feitos 500 atendimentos por dia. Segundo a direção da unidade, em média, 15 pessoas chegam com os sintomas da doença. No local, os pacientes recebem máscaras.

A Secretaria da Saúde informou que foi autorizada a abertura de dez leitos no Hospital Alberto Cavalcante, outros dez leitos no Hospital Júlia Kubitschek, em Belo Horizonte, e 20 leitos no Hospital Cristiano Machado, em Sabará (MG).

A Secretaria Municipal de Saúde informou também que vai ser aberto mais um ambulatório de referência, na próxima semana, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região oeste.

A Fundação Ezequiel Dias informou que deve começar na segunda-feira a produzir o remédio usado no tratamento.