Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Nesta terça-feira (8) completam exatos dez dias que boa parte da população de Arapiraca está vivendo sem água nas torneiras. Em virtude do isolamento social, famílias inteiras estão dentro de suas casas sem poder contar com um serviço público que deveria ser prioridade, o abastecimento regular de água.

Nos programas matinais de rádio são inúmeras as reclamações de ouvintes que dizem já terem chegado ao limite da paciência e das condições mínimas de dignidade. Falta água para tarefas básicas, ou seja, desde um simples banho, lavar louças, roupas, preparar o almoço, higienizar a casa, entre outros.

A situação é ainda mais complicada em momentos de pandemia do Covid-19, onde a higiene pessoal e física é uma recomendação prioritária.

Riscos da Dengue

Se hoje a população de Arapiraca está assustada com o avanço do Coronavírus em todo o mundo, outro problema poderá surgir em breve na cidade: a Dengue. Sem água nas torneiras, muitas pessoas acabam armazenando água de forma errada, contribuindo para a proliferação do mosquito transmissor da doença, que também tem seu histórico de letalidade.

O que diz a Casal

A equipe de reportagem do Minuto Arapiraca entrou em contato com o gerente regional da Casal no Agreste, Tácito Marques, que reconheceu o problema e afirmou que o reabastecimento deverá ser normalizado em toda a cidade (partes baixa e alta) até a próxima sexta-feira (10).

Segundo ele, após as últimas chuvas, a turbidez da água do Rio São Francisco encontra-se acima do limite, o que tem atrasado o processo de decantação e tratamento da água abastecida em Arapiraca e várias cidades do Agreste.

Tácito afirmou ainda que o abastecimento está ativo, porém a vazão deverá aumentar gradativamente, atingindo sua totalidade até o prazo previsto.

É esperar pra ver!