Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A maior unidade pública de saúde do interior de Alagoas, o Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca, registrou 330 atendimentos, de sexta-feira (20) até a noite deste domingo (22).

Os números mostram uma redução de 38,5% em relação ao fim de semana passado, que apresentou a entrada de 536 pacientes.

De acordo com o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) do Hospital de Emergência do Agreste, que é vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), houve uma pequena redução no número de vítimas de acidentes no trânsito.

Na semana anterior, o hospital atendeu 89 pacientes, sendo 83 vítimas de colisões e quedas de motos. Neste fim de semana, o número foi um pouco inferior, com o registro de 87 pacientes, dos quais 79 vítimas de colisões e quedas de motos.

As quedas da própria altura apresentaram uma redução significativa. entre os dias 13 e 15 de março, foram notificados 76 casos, e, neste fim de semana, o HE do Agreste atendeu apenas 46 pacientes.

Os outros casos que também registraram diminuição no número de atendimentos referem-se às assistências a vítimas de picadas de escorpião. Foram 21 pessoas atendidas neste fim de semana, enquanto no fim de semana anterior o hospital recebeu 39 pacientes.

Para a gerente-geral do HE do Agreste, Bárbara Fernanda Albuquerque, a queda relacionada ao número de atendimentos está diretamente ligada ao Decreto de Emergência publicado pelo governo estadual, para que as pessoas fiquem em suas casas no isolamento social, como forma de prevenção ao Coronavírus (Cod-19).

A gestora também cita as medidas adotadas pela própria unidade de saúde, com a suspensão temporária das visitas. “A nossa decisão está sendo bem aceita pelos familiares e acompanhantes de pacientes”, salienta Bárbara Albuquerque, frisando que as pessoas podem solicitar informações pelo novo canal de comunicação do HEA, pelos telefones (82) 3539-8634 e 98833-4128.

“Essa experiência está sendo muito positiva. As pessoas estão conscientes e sempre ligam antes de se deslocarem para o atendimento aqui no hospital”, acrescenta.