Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A causa da morte de João Pedro da Silva, de 27 anos, encontrado morto nesta segunda-feira (24), na zona rural do município de São Sebastião, foi divulgada pela assessoria de Comunicação da Perícia Oficial do Estado de Alagoas (PO/AL) nesta quinta-feira (27).

De acordo com a PO/AL, a vítima, que era autônoma, foi morta a tiros. João Pedro era companheiro da comerciante Marizete Maria da Silva, de 41 anos, que teve os dedos decepados no mês de julho de 2019, no município de Arapiraca, Agreste alagoano, durante um assalto ao seu estabelecimento comercial.

Desaparecimento

Em entrevista ao CadaMinuto, o delegado Renivaldo Batista, que é responsável pelo caso, informou que a vítima morava em Arapiraca e estava desaparecida há alguns dias. Além disso, familiares de João teriam confeccionado um Boletim de Ocorrência (BO) pelo desaparecimento da vítima, na Delegacia de Polícia de Arapiraca.

Ainda segundo o delegado, na segunda-feira (24), policiais do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) receberam a informação de que em um salão abandonado próximo ao local, às margens da rodovia AL-110, um corpo tinha sido encontrado.

Ao chegar ao local, os policiais encontraram o corpo do jovem em decomposição. Logo após, equipes do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca foram acionadas ao local da ocorência para a realização dos procedimentos cabíveis.

O delegado informou ainda que o caso, juntamente ao inquérito, têm o prazo de até 30 dias para ser concluído pela Polícia Judiciária, podendo ser prorrogado, caso haja necessidade. 

Caso Marizete

Na época do crime, a empresária relatou, em entrevista à Rádio Pajuçara FM Arapiraca, que estava dentro de uma oficina mecânica quando dois homens, que estavam em uma motocicleta, invadiram o local pedindo a chave de um veículo. Em seguida, quando a vítima informou que não estava com as chaves, um dos suspeitos cortou dois dedos da empresária com o auxílio de uma faca e um martelo.

Ainda conforme a empresária, um dos homens sugeriu estuprá-la e ainda chegou a roubar cerca de R$ 2 mil. No momento do crime, João Pedro, que era companheiro da empresária, não estava presente no local, pois tinha saído para comprar um lanche. Até o momento, os suspeitos de cometer o crime não foram identificados.