Foto: Luciano Amorim Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Delegado Guilherme Iusten

Nesta terça-feira (7), o delegado regional de Arapiraca, Guilherme Iusten, revelou que os acusados da morte do jovem Hudson Melanias, filho do secretário de Educação do município confessaram o crime “com a maior tranquilidade”. O corpo de Hudson foi encontrado degolado no município de São Sebastião e o crime chocou o Estado de Alagoas.

De acordo com o delegado, a dupla chegou a delegacia confessando e contaram porque praticaram o crime. "Eles chegaram na delegacia confessando, com tranquilidade, porque havia prova cabal. Hudson foi encontrado com as mesmas vestimentas que utilizava enquanto estava bebendo com eles. Por causa de algumas palavras que foram proferidas pela vítima, decidiram ceifar a vida do mesmo".
 

Familiares acionaram à Polícia Civil no dia 02 de Janeiro para comunicar o desaparecimento. "Inicialmente, tentamos contato com setores da Inteligência da Polícia Civil, para sabermos o último paradeiro da vítima, e sugerimos ao irmão dele que divulgasse nas redes sociais a imagem do irmão, pedindo informações.  Em poucos instantes, recebemos a foto dele já em óbito, e aquele vídeo que circulou nas redes sociais dele com seus algozes. Imediatamente, desenvolvemos duas frentes de trabalho: uma para localizar em que IML ele estava, e outra para identificar os autores. Após a descoberta de que o corpo se encontrava no IML de Arapiraca, a gente deu a fatídica notícia à família", relatou Iusten. 

Os acusados do homicídio foram identificados não oficialmente como Jackson e Ednaldo "Seninha". Os dois seguem em prisão preventiva na Casa de Custódia de Arapiraca. Iusten afirmou ainda que não descarta mais participantes no crime, mas que o caso ainda está sendo investigado.