Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Ilustração

Um caso de sequestro e estupro contra duas adolescentes, de 14 e 15 anos, ocorrido em Arapiraca, Agreste alagoano, está sendo investigado pela Polícia Civil. O caso aconteceu no último fim de semana, mas só foi divulgado nesta quarta-feira (6). 

Segundo informações policiais, uma das vítimas, que reside em Traipu, acionou a polícia após ter conseguido fugir do cativeiro. A adolescente de 15 anos relatou que havia marcado um encontro com um rapaz, com quem mantinha contato pela internet, no bairro Bom Sucesso, em Arapiraca.

Enquanto aguardava pelo encontro, ainda conforme relatou a menor, três homens em um veículo, cujas características não foram informadas, se aproximaram e a forçaram a entrar no carro. A adolescente disse à polícia que uma outra adolescente, a de 14 anos, já havia sido feita refém e estava dentro da mala do automóvel.

A adolescente contou que foi dopada e que acordou horas depois, coberta com um lençol em um quarto desconhecido. Segundo a menor, a outra vítima também estava no cômodo.

Ainda de acordo relatos da menor, ela e adolescente de 14 anos foram medicadas para permanecerem inconscientes e que foram abusadas pelos homens por aproximadamente três dias. Ela contou que os homens usavam capuz e um deles estava armado.

A vítima disse que, na segunda-feira (4), quando estava menos dopada, percebeu que os homens não estavam no local, conseguiu arrombar a porta da casa abandonada, pulou o muro e fugiu.

A adolescente contou à polícia que chamou a menor de 14 anos para fugir com ela, mas que a outra menina teria dito que não poderia fugir, pois os homens ameaçavam matar seus pais.

Segundo a adolescente de 15 anos, ela recebeu ajuda de um mototaxista que a levou para a casa de sua mãe, na zona rural de Traipu.

Nesta quarta-feira (4) a denúncia foi feita junto ao Conselho Tutelar de Traipu, que acionou a Polícia Militar. A adolescente recebeu atendimento psicológico, no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), em Arapiraca, e foi conduzida para o Hospital de Emergência do Agreste para tratar machucados e receber medicação contra possíveis doenças.
 
Polícias Civil e Militar trabalham de forma conjunta  para tentar prender os criminosos. O caso está sendo investigado e há suspeitas de que outras jovens tenham sido vítimas dos mesmos criminosos.