Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Crianças têm habilidades natas que muitas vezes são podadas pelas práticas tradicionais do modelo de educação brasileiro, limitando muitas vezes o aprendizado a "tarefinhas e desenhos na televisão". 

Por isso, trabalhar com a educação de crianças pequenas tem se tornado um desafio, principalmente pelos métodos pedagógicos utilizados no sistema tradicional, que acelera as etapas do desenvolvimento infantil, desconsiderando, por vezes, o aprendizado que ocorre durante esse processo.

Com a abordagem Pikler, surge um novo viés dentro da educação infantil brasileira para bebês e crianças pequenas. Embora pouco conhecida no Brasil, o modelo, que surgiu na Europa, agrada muito a estudiosos da área por permitir que os pequenos tenham suas etapas de desenvolvimento respeitadas, trazendo enormes benefícios na aquisição de habilidades socioemocionais, cognitivas e motoras. 

O modelo chamou a atenção da arapiraquense Priscila Kelly, que resolveu se aprimorar ainda mais sobre o assunto e viajou até Berlim, na Alemanha, para participar de uma imersão no curso “Experiência na Abordagem PiKler”. 

Além dela, que é a única alagoana, outros 17 brasileiros estão nesse grupo conhecendo na prática o funcionamento da abordagem, dentre eles, Paulo Fochi, escritor de vários livros inspirados na Abordagem Pikler, como "Afinal, o que fazem os bebês no berçário".

“Tem sido instigante esses primeiros dias aqui com esse grupo tão comprometido e tão cheio de conhecimento para compartilhar. A experiência em uma creche alemã tem me dado ainda mais a certeza de que é necessário repensar o espaço coletivo para bebes e crianças pequenas”, comentou.

A intenção de Priscila é inaugurar no início do próximo ano um Espaço de Desenvolvimento Infantil inspirado na abordagem. O Quintal Livre, como é chamado o projeto, irá iniciar as matrículas no mês de novembro e será um novo conceito de creche, para bebês e crianças pequenas de 0 a 3 anos. 

"Teremos um espaço para a criança potencializar suas habilidades motoras, socioemocionais e poder ser criança de verdade" destacou.

De Berlim, Priscila segue para Budapeste, na Hungria, onde fica a sede do Instituto Emmi Pikler – Lóczy. No local acontecerá a segunda etapa da formação e o estágio in loco.


Entenda

A abordagem Pikler, desenvolvida pela pediatra Emmi Pikler, é um conjunto de ideias para a atenção de bebês e crianças pequenas. A abordagem é sustentada por três pilares: cuidado, vínculo e movimento livre. 

Dentro do espaço coletivo é importante que as crianças tenham um adulto de referência que estabeleça uma relação de vínculo e se sintam seguras para que possam ser cuidadas de forma respeitosa. A brincadeira livre é recomendação da ONU e da OMS e está dentro das Bases Nacionais Curriculares do Brasil.