Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

De acordo com dados do Núcleo de Epidemiologia do Hospital Regional de Arapiraca, o município registrou um aumento de 108% nos casos de dengue, em comparação ao mês anterior (dezembro/2018). Foram 166 casos suspeitos de dengue no primeiro mês de 2019.

Outra estatística de doença com veiculação hídrica também chama atenção. O crescimento de 62,25% nos casos de diarreia, ainda de acordo com a estatística do Hospital Regional. Diante desse quadro, especialistas da Agreste Saneamento, empresa que atua junto com a Companhia de Saneamento de Alagoas (CASAL) para assegurar melhorias nos sistemas de abastecimento de água em 10 municípios da região Agreste do Estado, alertam que é preciso continuar com os cuidados nos reservatórios de água

De acordo com Guilherme Dias, diretor da Agreste Saneamento, as orientações são manter a caixa d’água sempre limpa e totalmente tampada e as calhas livres de entupimentos. Ele explica que também é preciso um cuidado especial com bebedouros de animais, que devem ter a água trocada a cada três dias, no máximo. Os pratinhos de plantas também precisam ser eliminados. O armazenamento de lixo deve ser feito em recipiente fechado, além de acondicionar adequadamente os materiais para reciclagem que podem acumular água.

Guilherme explica que cada pessoa deve contribuir para manter o ambiente doméstico e de trabalho livre do mosquito da dengue, responsável também pela transmissão de doenças como zika e chikungunya. “As estatísticas apontam que cerca de 80% dos focos do Aedes estão dentro das residências, então, é fundamental que cada pessoa adote essas medidas simples para  reduzir o número de criadouros dentro da sua área de vivência”, afirma.