2e7adf33 3c3a 4af2 8678 aadca02d1255

“A política arapiraquense termina o ano de forma melancólica”. Assim classifica o vereador Léo Saturnino, que em maio de 2017 foi eleito antecipadamente como presidente da Câmara Municipal de Arapiraca para o biênio 2019/2020, cuja eleição foi cancelada por um grupo de vereadores na manhã desta sexta-feira (28).

“Sofri um golpe cruel, pois minha eleição foi legítima e fui eleito por unanimidade”, lamentou Saturnino.

A movimentação para anular a eleição começou há alguns dias, articulada por vereadores que fazem parte da bancada do Executivo Municipal. Nas últimas 24 horas foram convocadas três sessões para a discussão e votação pelo cancelamento do pleito.

Confusão e muito bate boca marcaram as sessões e o assunto ganhou repercussão nas redes sociais e na imprensa local. Num clima tenso e constrangedor, foi eleita na tarde de hoje a nova mesa, composta pelos vereadores: Jairo Barros (presidente), Thiago ML (vice-presidente), Dr. Fábio (1º secretário), Pablo Fênix (2º secretário) e Fabiano Leão (3º secretário).

Indignado, Saturnino afirma que vai acionar a Justiça para reaver um direito legítimo. “Minha eleição foi legítima e fui eleito por unanimidade. Respeitamos todos os trâmites, todos os documentos foram protocolados, publicados, votado e ainda disponibilizado prazo para eventual contestação”, afirmou.

Léo Saturnino disse ainda que quando os vereadores decidiram antecipar a eleição foi justamente para evitar intervenções externas, sejam elas do prefeito ou de algum deputado. Ao ser questionado se a anulação está relacionada a esse tipo de intervenção, Léo preferiu não fazer pré-julgamentos.

“É tudo muito estranho, mas prefiro não fazer pré-julgamentos. A Justiça e o tempo é quem dirão a verdade”, finalizou.