Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Tensão. Esse foi o clima na sessão especial da noite desta quinta-feira (27) na Câmara de Vereadores de Arapiraca, onde seria debatida a anulação da eleição para a presidência da mesa diretora para o biênio 2019/2020, que em maio de 2017 elegeu por unanimidade o vereador Léo Saturnino.

O requerimento pedindo a anulação da eleição foi proposto por sete dos quinze vereadores. Após ser lido pela presidente Graça Lisboa, o teor do documento gerou bate boca entre os vereadores e o público que acompanhava a sessão.

Ao iniciar a votação, o requerimento foi aprovado por 9 a 8, com voto de minerva dado pela presidente Graça Lisboa. Os votos favoráveis pela anulação foram dados pelos seguintes vereadores: Aurélia Fernandes, Dr Fábio, Fabiano Leão, Graça Lisboa, Jairo Barros, Melquisedec Oliveira, Pablo Fenix, Thiago ML e Willomarks da Saúde.

A aprovação revoltou vereadores contrários e um novo bate-boca generalizado levou a sessão a ser suspensa. No meio da confusão, o vereador pastor Marcos Caetano passou mal e teve que se retirar. A sessão foi suspensa por sete vezes.

A discussão será retomada na manhã desta sexta-feira (28) a partir das 10 horas. Com a aprovação do regime de urgência especial, resta apenas a votação nominal para a anulação da eleição e convocação de um novo pleito para escolha da mesa diretora.

O vereador Léo Saturnino, o mais prejudicado com a anulação da eleição, disse que desconhece a motivação em torno da anulação do processo e se caso a eleição for realmente anulada prometeu acionar a justiça para lhe conceder o direito adquirido..