Com o objetivo de alertar sobre o risco de epidemia de dengue em Alagoas, a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, Sandra Canuto, falou aos prefeitos sobre o mapa da doença no Estado, de janeiro a março deste ano, durante reunião da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) realizada nesta segunda-feira (28), em Maragogi, que está entre os municípios que apresentam situação de alerta.

Sandra Canuto pediu o empenho dos municípios para o controle da doença, fez algumas recomendações aos gestores e destacou o apoio do governo do Estado nas intensificações das ações. “É preciso que os municípios desenvolvam ações junto à população para alertar sobre os riscos da proliferação do mosquito transmissor da dengue como intensificação da coleta de lixo e campanhas educativas”, sugeriu a superintendente, informando que o vírus tipo 4 já está circulando na Região do Nordeste.

Só este ano em Alagoas, foram notificados 2.449 casos de dengue, sendo 593 confirmados. Os municípios de Belém, Colônia de Leopoldina, Estrela de Alagoas, Marechal Deodoro e Palmeira dos Índios já estão em situação de epidemia. Já os municípios de Arapiraca, Coité do Nóia, Rio Largo, Lagoa da Canoa, Santa Luzia do Norte, Teotônio Vilela, São Brás e Satuba estão em situação de alerta.

A dengue é uma doença infecciosa transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado. É uma doença série que pode matar, mas também pode ser evitada se atitudes efetivas forem tomadas.