31ffcb57 8e72 42f3 9ecb b290b1eaea42

A Câmara Municipal de Arapiraca, realizou na noite desta terça-feira (23), sua sessão ordinária no Auditório do CRIA, no bairro de Santa Edvirgem, com os trabalhos dirigidos pelo presidente em exercício, Moisés Machado, Melquisedec de Oliveira e Gilvania Barros.

Foi aprovado requerimento do Pastor Marcos Caetano, solicitando ao prefeito Rogério Teófilo, que envie ao Poder Legislativo, Projeto de Lei que valorize os professores de Libras, incluindo-os na grade curricular da Educação de Ensino Fundamental como matéria específica.

De acordo com o vereador, é grande o núumero de alunos em Arapiraca, com deficiência auditiva. Ele até lamentou, que nos principais orgãos de comunicação no país, com a Globo, não tenha um interprete de libras, para que as pessoas com deficiência auditiva, possam entender o que dizem os apresentadores.

Também foi aprovada indicação da vereadora Gilvania Barros, solicitando a administração municipal, atraves da secretaria municipal de Saúde, disponibilizar  mais médicos geriatras para o município.
 
Ao justificar, Gilvania Barros, lembrou que em Arapiraca, só dispõe de um de um médico especialista nesta área e devido a demanda que é muito grande.

O vereador Edvanio do Zé Baixinho, vou a falar sobre a alteração do projeto dos transportes complementares e moto taxistas foi aprovado.

De acordo com o parlamentar, a sua luta foi intensa, onde muitas reuniões foram feitas com o prefeito Rogério Teófilo. A  partir de agora, segundo Edvanio do Zé Baixinho, as vans e kombis têm o prazo de validade de uso de 7 anos para 10 anos e as motos de 5 para 8 anos. Ele agrdeceu aos colegas vereadores que aprovaram por  unanimidade e ao prefeito Rogério Teófilo por ter atendido meu pedido, que visa beneficiar aos motoristas do município. 

Na parta das explicações pessoais, a vereadora Aurélia Fernandes, agradeceu aos colegas, a aprovação do projeto de sua autoria, que Institui a Semana de Orientação e Prevenção  da Gravidez na Adolescência, em Arapiraca.
Em sua justificativa, a vereadora mostrou a sua preocupação com os adolescentes e disse que não é só da secretaria municipal de Saúde, mas também das escolas  particulares, que receberão toda a assistência.

O encerramento da sessão foi feita com o vereador Léo Saturnino, ao falar sobre a alteração da lei municipal que pune motoristas que permanecerem por mais de cinco minutos nas entradas principais de hospitais ao embarcar e deserbarcar pacientes.

Segundo o vereador, com a alteração da lei, esse tempo passaria para no mínimo, vinte minutos, o que seria o suficiente até para que os pacientes até possam esperar pelas cadeiras de rodas dos hospitais.