Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O secretário de Cultura, Lazer e Juventude de Arapiraca, Silvestre Rizzattto, participou na manhã e início da tarde de quarta-feira (31.05), na Assembleia Legislativa, em Maceió, da audiência pública “Políticas públicas destinadas ao desenvolvimento cultural de Alagoas” proposta pelo deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB).

A audiência, segundo RC, visou unir sociedade e poder público para debater sobre o incentivo à cultura no estado, orçamentos do governo estadual em cultura, além de dar vez e voz a inúmeros representantes das artes e cultura de várias regiões do estado. A presença da secretária de Cultura do Estado, Melina Freitas (que foi verdadeiramente sabatinada pelos participantes) e de Marcos Sampaio, representando o poder executivo de Maceió proporcionou um rico debate e deixou evidente que a SECULT se coloca aberta ao diálogo.

Além de Arapiraca, o único município que contou com representante na audiência foi Teotônio Vilela, com a secretária de Cultura e Juventude, Marcela Vilela. Do legislativo municipal o único presente foi o vereador Lobão, de Maceió. A ausência de  representantes do poder público municipal e de legisladores da Casa Tavares Bastos foi  lamentado pelos participantes que fizeram uso da tribuna e, pelo próprio deputado estadual Rodrigo Cunha.

Na audiência, o secretário Silvestre Rizzatto destacou a importância da implantação de secretarias de cultura nos municípios alagoanos e sua institucionalização, alinhando-se com as propostas contidas no Plano Nacional de Cultura. Frisou que a visão governamental não pode ser limitada sobre mestres, artistas, artesãos, produtores de cultura local, assim como no que diz respeito a demanda consumidora de produtos/serviços culturais existentes, mas também no aspecto do todo cultural e na identidade cultural de cada região.

“Sabemos que a cultura em alguns municípios é apenas um departamento ou até uma coordenação associada a outra secretaria, e isso não apenas torna frágil a valorização dos conhecimentos e expressões das culturas populares e tradicionais, mas também compromete a identidade cultural do município, além de seu desenvolvimento social e econômico, porque a cultura está intrinsecamente ligada a esses dois fatores”, finalizou, o secretário de Cultura, Lazer e Juventude de Arapiraca.

A tribuna foi utilizada por dezenove participantes que colocaram inúmeras pautas reivindicativas ao poder executivo e legislativo, porém o assunto unânime foi a urgência de uma Lei Estadual de Incentivo à Cultura. A representante do MOVA – Movimento Cultural Alagoano, Nina Magalhães, em seu discurso sobre o fomento à cultura através de fontes e modos de financiamentos, foi enfática na importância do Fundo Municipal de Cultura e da ampla discussão com todos os setores culturais na construção da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

Após o evento o secretário Silvestre Rizzatto fez inúmeros contatos para futuros projetos. Entre eles com o cantor alagoano Geraldo Cardoso, com o vereador de Maceió Lobão (defensor da bandeira do rock), com o ator Chico de Assis, que em breve estará em Arapiraca ministrando curso de atores através da parceria entre Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Juventude de Arapiraca e Secretaria de Cultura do Estado. Rizzatto também fez contato com a coordenadora regente do Coretfal, Maria de Fátima Monteiro Meneses, no sentido de viabilizar a realização de um encontro de corais em Arapiraca, ainda este ano.