Agentes penitenciários são afastados das funções por Paulo Rubim

  • annaclaudia
  • 02/07/2009 07:28
  • Maceió
Treze agentes penitenciários foram afastados de suas funções pelo período de 30 dias. A decisão, publicada na edição do Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (02), foi determinada pelo secretário de Defesa Social, Paulo Rubim.

A portaria teve como motivo o protesto realizado pelos agentes penitenciários, que bloquearam, no dia 15 do mês passado, duas ruas no Centro de Maceió, provocando um enorme congestionamento na região, e que só teve fim com a chegada do Batalhão de Operações Especiais (Bope). 

Entre os agentes afastados está o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Jarbas Santos de Souza. Os outros são Elias Gomes da Silva, Armando de Castro Sobrinho, Daniel Domingues de Miranda, Paulo Chen, Jonatas Rafael Ferro dos Santos, Marcelino Marinho Falcão, Gizélia Cardoso Bandeira, Lucas Shanei Cunha Costa, José Francisco dos Santos, Helber José Mendonça Medeiros, Acácia Souza Cantoário e Adalberto de Souza Bringel.

Paulo Rubim decidiu pelo afastamento para que haja apuração de possíveis irregularidades na manifestação. Com a portaria, os agentes deverão devolver as armas de fogo e identidades funcionais da Intendência Geral do Sistema Penitenciário de Alagoas (Igesp), mas não terão prejuízos de remuneração durante o período de afastamento.

Em contato com o presidente da entidade, Jarbas Souza informou que a categoria não  vai recuar diante da atitude tomada pelo Governo do Estado. “Vamos devolver essa atitude violenta do governo com mais manifestação”, frisou

Ao ser indagado sobre a decisão, Jarbas disse apenas que a categoria já esperava essa reação do governo, mas há divergência no ato publicado no Diário Oficial. “Tem companheiros que foram afastados que não estavam no dia da manifestação. O motivo para o afastamento não está explícito, pois ao mesmo tempo em que eles afastam pedem que a gente fique a disposição da Igesp”, afirmou.

Protesto

No dia 15 de junho, agentes penitenciários bloquearam o cruzamento da Ladeira dos Matírios com a Rua do Sol, provocando um enorme congestionamento de veículos na região. Uma equipe do Gerenciamento de Crises da Polícia Militar foi acionada e tentou, sem êxito, liberar a pista, que teve pneus queimados impedindo a passagem de veículos. O grupo só deixou o local, após a chegada do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que entrou em confronto com os agentes.

Cerca de 30 homens do Bope utilizaram durante a ação armas de efeito moral, como bombas de gás lacrimogêneo, além de balas de borracha e agentes químicos, como o gás de pimenta. Vários agentes ficaram feridos, dentre eles, o presidente do sindicado. Policiais do Bope alegaram que os agentes estavam armados, o que não foi confirmado pela categoria.