Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A cidade de Arapiraca tem uma gama extensa no que concerne às manifestações culturais. E, nesta sexta-feira (1º), teve início no município de Palmeira dos Índios uma exposição que traça um pouco do nosso perfil cultural.

A inauguração da mostra “Guardiões da Memória” se deu na Unidade de Educação Serviço Social do Comércio (Sesc) Ler, na Rua Genésio Moreira, bairro São Francisco, e vai ficar até dia 29 de agosto.

Idealizadas pelos fotógrafos Silvestre Rizzatto e Lourdes Rizzatto, companheiros em vida e na arte, a exposição traz registros dos trabalhos do artista circense Teófanes Silveira, o Palhaço Biribinha, do Mestre Duda da Canafístula, do mestre de coco de roda Nelson Rosa e do artesanato de José Wilson e seus chapéus do Guerreiro, afora outras investidas.

“Nas fotografias, estará retratada uma grande parte das manifestações culturais alagoanas como as tradições quilombolas, a musicalidade das bandas de pífanos, o forró e os forrozeiros nordestinos, o colorido do Guerreiro, a disputa do pastoril, as melodias das cantigas das destaladeiras de fumo, o encantamento do circo revelado pela família Silveira, a energia das quadrilhas juninas, além do artesanato em tapeçaria criado pelas mulheres da família Petuba”, diz a fotógrafa Lourdes Rizzatto.

Esta mesma exposição aconteceu em Arapiraca, também na sede do Sesc, em novembro do ano passado, proporcionando rodas de conversas. Esta “Guardiões da Memória” ficará aberta para o público até 29 de agosto, segunda a sexta-feira, das 9h às 20h.