Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O casamento matuto entre tecnologia e o som rude da zabumba, triângulo e sanfona. Dentro de um HD externo, o jovem Maxsuel de Carvalho Silva possui um total de 35.925 músicas de forró.

“Guardo tudo o que vou ouvindo e a internet é um importante aliado nessa busca pelas nossas raízes nordestinas”, diz ele, que tem apenas 16 anos de idade e já vem se destacando como sanfoneiro.

O prodígio do forró arapiraquense começou a se interessar por música ainda muito cedo. Com 12 anos, fez aulas com o mestre Afrísio Acácio do Acordeon, na Associação Cultural de Tradições Nordestinas de Arapiraca (ACTNA), e chegou a acompanhá-lo tocando zabumba em diversos shows no ano passado.

Ele se apresentou no Arraiá Aí Dento Tem Festa no Sítio, do bairro Primavera, e puxou também a quadrilha matuta do evento. “Tenho trabalhado para sempre progredir. Apesar dos meus 16 anos, já conheço um bocado de coisa e pretendo estar sempre em contato direto com nossa cultura”, comenta.

“Maxsuel do Acordeon”, como já é conhecido, recorda-se de uma tarde especial em que passou ao lado do poeta e radialista Zé do Rojão, que faleceu no último mês de novembro, homenageado este ano pela Prefeitura de Arapiraca.

“Agora, neste dia 27 de junho, fez um ano de nosso encontro. Eu falei que estar conhecendo-o era uma honra para mim, já que ele é referência para nossa cultura popular. E, na minha frente, Zé do Rojão caiu em lágrimas e disse, emocionado: 'Meu filho, é muito raro um jovem feito você dar valor ao nosso trabalho hoje em dia'”, conta ele, afirmando se sentir realizado por conhecer este baluarte da tradição nordestina.

Ainda chegou a tocar zabumba durante programa da rádio Gazeta FM ao lado de Zé do Rojão, no final de 2013. Sua mãe, Luzineide Carvalho, se orgulha bastante do legado sendo levado à frente. “Meu irmão também é sanfoneiro lá em Maceió. Creio que seja de sangue mesmo”, brinca.

Hoje, como sanfoneiro, Maxsuel do Acordeon é acompanhado por músicos que também integram a trupe de Davi do Acordeon. Com influências como Luiz Gonzaga e Trio Nordestino, ele terá belo caminho de resgate a trilhar.