Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A Cultura de Lagoa da Canoa, mais uma vez, mostrou a sua força. O apoio da Prefeitura, através do empenho da Secretaria Municipal de Cultura, possibilitou que quatro projetos culturais do município foram selecionados pelo Ministério da Cultura dentro do projeto Cultura Populares – 100 anos de Mazzaropi, que tem como objetivo reconhecer a atuação de mestres e grupos responsáveis por iniciativas exemplares que envolvam as expressões das culturas populares brasileiras.

Dos quatro projetos selecionados, dois são individuais e dois grupos. Os artistas canoenses premiados foram: Antônio Alves dos Santos, mais conhecido por Antônio de Dedé (escultor de artes em madeira); Quitéria Bispo dos Santos, a Nilvinha (arte em argila); José Laurentino Sirilo (Grupo Guerreiro Mundial) e Oséas Rodrigues de Paula (Grupo Guerreiro Treme Terra Canoeiro). Como forma de reconhecimento, cada artista estará sendo premiado com a quantia de R$ 10 mil, dinheiro que será revertido em investimentos na própria atividade ou grupo.

De acordo com a secretária municipal de Cultura, Rita de Cácia, dos oito projetos apresentados pelo Município, quatro foram selecionados pelo governo federal, mostrando assim a vocação artística do povo canoense. “Estamos orgulhosos com mais uma grande conquista. Isso mostra o quanto o povo canoense tem vocação para a arte, citando como exemplo Judas Isgorogota, poeta canoense consagrado mundialmente, o instrumentista Hermeto Paschoal, entre tantos outros”, frisou a secretária.

O prefeito Álvaro Melo (PMDB) foi outro que ficou bastante satisfeito com a conquista inédita para Lagoa da Canoa. “Estou muito feliz, pois a cada dia tenho a certeza de que Lagoa da Canoa é uma terra de grandes artistas. Quero dizer em primeira mão que a Prefeitura já reservou dois estandes na Feira dos Municípios, a ser realizada em janeiro do próximo ano, onde cada artista canoense terá a oportunidade de mostrar seu talento, fazer contatos e bons negócios”, garantiu Álvaro Melo.

A artesã Nilvinha, que há 40 anos trabalha com arte em argila, disse que a premiação é mais um incentivo para quem sobrevive, exclusivamente da arte, e aproveitou para agradecer o apoio dado pela administração municipal. “Essa premiação mostra o quanto somos importantes para a Cultura alagoana e isso me deixa muito satisfeita. Se não fosse o empenho do prefeito Álvaro Melo e da secretária Rita de Cácia, que não mediram esforços para inserir os artistas da terra nesta premiação, certamente eu não estaria vivendo esta alegria”, finalizou Nilvinha.