Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A superlotação é um problema que atinge todos os presídios brasileiros. Em Arapiraca, por exemplo, a juastiça proibiu a Casa de Custódia de receber detentos e a Central de Polícia relocou presos para outras delegacias do Estado.

No presídio Desembargador Luiz de Oliveira Souza, prédio que funciona vizinho ao Campus da Ufal Arapiraca, o número de reeducandos é maior que a capacidade.

Com o novo presídio, que deve ser inaugurado no segundo semestre em Craíbas, a esperança era que “desafogasse” o problema, mas segundo informações colhidas pelo Minuto Arapiraca, o novo espaço prisional já deve começar lotado.

Reeducandos que estão lotados no presídio de Arapiraca, além de outros presos vindos de outras cidades estarão nas celas da unidade em Craíbas.

Nesta quarta-feira, 24, o governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) confirmou que o prédio onde atualmente funciona o presídio de Arapiraca será doado para UFAL. “Ele será desativado. Será um instrumento importante para a sua extensão”, explicou.