Brasil/Mundo

STF suspende julgamento sobre legalidade de revista íntima em presídio

  • Agência Brasil
  • 29/10/2020 18:13
  • Brasil/Mundo
Foto: Agência Brasil
Supremo Tribunal Federal (STF)

Um pedido de vista do ministro Dias Toffoli adiou hoje (29) a conclusão do julgamento sobre a legalidade de revistas íntimas realizadas nos presídios para evitar a entrada de drogas, armas e celulares. Antes da suspensão, o placar da votação estava em 3 votos a 1 para restringir a medida. Não há data para a retomada do julgamento.  

O Supremo começou a julgar um recurso do Ministério Público para reverter a absolvição de uma mulher flagrada tentando entrar em um presídio de Porto Alegre com 96 gramas de maconha, que estavam enrolados em um preservativo e acondicionados na vagina.

Na primeira instância, ela foi condenada, mas a Defensoria Pública recorreu ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), que a absolveu, por entender o procedimento de revista íntima foi ilegal.

Votos

Ontem (28), no primeiro dia do julgamento, o relator do caso, ministro Edson Fachin, entendeu que os funcionários das penitenciárias não podem fazer busca abusiva no corpo de amigos e parentes que vão visitar os presos por tratar-se de violação da intimidade.

Para o ministro, devem ser adotados procedimentos menos invasivos, como uso de scanners corporais, raquetes de raio X ou revista corporal superficial, evitando que os visitantes sejam obrigados a retirar a roupa ou terem suas partes íntimas inspecionadas.  

A sessão desta tarde foi aberta com o voto do ministro Alexandre de Moraes, que abriu divergência em relação ao entendimento do relator. Moraes concordou que há um grande número de casos de revistas íntimas vexatórias, com base somente na presunção de que os parentes sempre estão portando drogas para entregar aos presos.

No entanto, o ministro entendeu que a revista íntima não pode ser sempre definida como degradante, de forma automática e sem análise caso a caso, sob pena de colocar em risco a segurança dos presídios. "É invasiva, sem dúvida. Agora, não é a revista íntima automaticamente sempre ilícita, vexatória e degradante, consequentemente sempre ilícita a prova obtida a partir da revista íntima”, afirmou.  

O ministro Luís Roberto Barroso também votou para considerar ilegal a revista íntima nas cavidades corporais e ponderou que muitos integrantes de facções criminosas exigem que as parentes entrem nos presídios para levar droga.  

Barroso argumentou que a busca manual é diferente dos casos de revista vexatória e citou o caso do senador afastado Chico Rodrigues (DEM-RR), que foi flagrado pela Policia Federal com dinheiro na cueca. “Essa é uma situação perfeitamente legítima e diferente de uma busca em cavidades corporais. A busca pessoal diante de algum indício de ocultação de objeto de delito é perfeitamente legítima”, afirmou.  

A ministra Rosa Weber também seguiu a maioria pela ilegalidade da revista íntima. Em seguida, o ministro Dias Toffoli pediu vista.

Cliente implora que técnico diga que iPhone está quebrado para evitar problemas com a esposa

  • Extra
  • 29/10/2020 16:56
  • Brasil/Mundo
Reprodução

Um cliente deixou o seu iPhone em uma assistência técnica e implorou para que o especialista mentisse e dissesse que o aparelho não tinha conserto.

O cliente não queria um motivo para comprar um smartphone novo, ele desejava simplesmente evitar problemas com a esposa.

"O cliente e a esposa vieram aqui e me deram esse celular para consertar. Eu disse: Me deem uma hora que faço isso para vocês. Abri o aparelho e isso foi o que encontrei dentro":

Abaixo da capa estavam uma nota de cem dólares e um bilhete, que dizia:

"Por favor, diga à minha mulher que o telefone não tem conserto. Ela quer verificar o meu histórico de chamadas. Os cem dólares são seus. Obrigado"

A história viralizou, com mais de 2 milhões de visualizações, após postagem no TikTok, em vídeo no qual o técnico pergunta ao fim: "O que eu deveria fazer?"

As opiniões se dividiram como os exemplos abaixo:

"Pegue os cem dólares e conte a ela", sugeriu uma pessoa.

"Pegue os cem dólares e respeito o pacto masculino", opinou outra.

"Chuva de dinheiro" gera caos no trânsito em cidade na China

  • IG
  • 29/10/2020 16:33
  • Brasil/Mundo
Reprodução

Um fenômeno meteorológico incomum ocorreu na cidade de Chongqing, na China, no último dia 17 de outubro e acabou gerando caos no trânsito: uma "chuva de dinheiro".

Segundo informações do jornal britânico The Guardian, o evento só ganhou notoriedade na mídia nesta semana, quando a polícia local divulgou a prisão do autor da ação, que não teve nada de natural.

De acordo com a publicação, o homem de 29 anos estava "em transe" quando foi abordado pela polícia , o que leva a crer que estava sob efeito de  metanfetamina quando jogou as cédulas de yuan do 30° andar do prédio.

Um vídeo de uma testemunha mostra o caos gerado no trânsito na região do edifício, com pessoas abandonando seus veículos para perseguir o dinheiro que caía do céu.

A polícia de  Chongqing não divulgou maiores informações sobre o suspeito e nem sobre a quantidade de dinheiro atirada por ele nas ruas da cidade.

 

 

Presidente da França anuncia novo confinamento no país até 1º de dezembro

  • Notícias ao Minuto
  • 28/10/2020 21:36
  • Brasil/Mundo
Foto: Getty Images
O presidente Emmanuel Macron

Numa declaração ao país no início da noite desta quarta-feira, o presidente Emmanuel Macron anunciou novas medidas para combater a pandemia da Covid-19, dizendo que o vírus está circulando na França, "a uma velocidade que nem as previsões mais pessimistas previam".

Alertando para o fato de os hospitais franceses estarem no limite, Macron revelou que, a partir de sexta-feira, vigorará um novo confinamento no país.Esta medida segue até, pelo menos, dia 1º de dezembro- tal como acontecerá na Alemanha.

"Decidi que era necessário impor, a partir de sexta-feira, o confinamento que deteve o vírus. Todo o território nacional está em causa", declarou o chefe de Estado francês, destacando que é necessária uma"travagem brutal nos contágios" para evitar o colapso dos hospitais.

Contudo, este novo confinamento será diferente do decretado na primavera. "Este confinamento será adaptado", as escolas vão manter-se abertas, as visitas a lares de idosos e centros de dependência estarão autorizadas, e será generalizado o teletrabalho. "As fábricas, as explorações agrícolas e as obras públicas vão continuar a funcionar. A economia não pode parar nem afundar", afirmou.

Entre os comércios e estabelecimentos "não essenciais" que serão encerrados estão os bares e restaurantes. Macron destacou ainda que as fronteiras interiores ds França e o espaço aéreo continuarão abertos e, salvo exceção, as exteriores vão manter-se encerradas, embora os franceses que estejam no estrangeiro possam regressar ao país, garantindo ainda que serão feitos testes rápidos aos viajantes que cheguem ao país.

"Fiquem o máximo possível em casa, precisamos do espírito de cidadania de todos”, apelou o chefe de Estado francês, referindo que a segunda onda "será mais mortífera". "Se nada for feito, haverá pelo menos 400 mil mortes suplementares" dentro de alguns meses na França, afirmou Macron, salientando a necessidade de procurar a imunidade coletiva.

"Jamais a França deixará de adotar essa estratégia", que significa a "classificação entre os pacientes", os idosos enquanto principais vítimas da pandemia", acrescentou Macron.

O executivo francês avaliará a cada 15 dias a evolução da epidemia e decidirá, se necessário, a aplicação de novas restrições ou, no caso de a situação melhorar, o levantamento de algumas medidas.

O endurecimento das medidas no país surge no mesmo dia em que a Alemanha decretou um confinamento parcial, com o encerramento parcial, durante quatro semanas, de restaurantes, bares e teatros devido ao elevado aumento de casos de Covid-19.

Fachin vota para considerar ilegal revista íntima nos presídios

  • Agência Brasil
  • 28/10/2020 20:27
  • Brasil/Mundo
Foto: Agência Brasil
Edson Fachin

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin votou hoje (28) para considerar ilegal as revistas íntimas realizadas nos presídios para evitar a entrada de drogas, armas e celulares. 

Em seu voto, Fachin entendeu que os funcionários das penitenciárias não podem fazer busca abusiva no corpo de amigos e parentes que vão visitar os presos por tratar-se de violação da intimidade. 

Para o ministro, devem ser adotados procedimentos menos invasivos, como uso de scanners corporais, raquetes de raio-x ou revista corporal superficial, evitando que os visitantes sejam obrigados a retirar a roupa ou terem suas partes íntimas inspecionadas. 

Além disso, Fachin votou para considerar que os materiais ilegais que forem encontrados a partir das revistas abusivas não podem ser usados para embasar condenações por tráfico de drogas. 

“A revista vexatória confere tratamento desumano e degradante, incompatível com a Constituição”, disse o ministro. 

Após o voto de Fachin, que é relator do caso, o julgamento foi suspenso e será retomado amanhã (29). Mais nove ministros devem votar. 

O caso julgado envolve uma mulher condenada na primeira instância por tráfico após ser flagrada tentando entrar em um presídio com 96 gramas de maconha, que estavam enrolados em um preservativo e acondicionados na vagina. De acordo com o processo, o irmão dela era o destinatário da droga. O caso aconteceu em Porto Alegre. 

Em seguida, a segunda instância absolveu a acusada por entender que o procedimento de revista íntima foi ilegal. Após a decisão, o Ministério Público recorreu ao Supremo. 

Durante o julgamento, o procurador do Rio Grande do Sul, Fabiano Dalazen, disse que revista intima não viola o direito à intimidade. Segundo o procurador, a revista é medida excepcional, em local reservado e realizado por uma servidora, somente quando existir “fundada suspeita” de tráfico na entrada nos presídios do estado. 

O vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, reconheceu os abusos que são cometidos nas revistas íntimas e afirmou que nenhum membro do Ministério Público pede a condenação de alguém para tirar a dignidade de parentes de presos. No entanto, defendeu que a inspeção pessoal deve ocorrer excepcionalmente. 

“A criação de uma via de imunidade com acesso aos presídios, sob o pálio da proteção da intimidade, sob o pálio da proteção dos corpos, coloca em risco muitos estágios da segurança”, afirmou.

Com média móvel de 25,5 mil, casos de Covid-19 no País mantém tendência de alta

  • IG
  • 28/10/2020 19:41
  • Brasil/Mundo
Foto: Bruno Concha/Fotos Públicas
Texte rápido para a covid-19

A média móvel de casos confirmados da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), voltou a ultrapassar a marca de 25 mil, o que mostra que as contaminações mantiveram tendência de alta no Brasil. O número foi superado pela última vez no dia 12 de outubro. As informações são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Nas últimas 24 horas, o levantamento mostra que os casos confirmados foram 28.629, fazendo o total chegar a 5.468.270. No mesmo período os óbitos foram 510, totalizando 158.456 mortes desde o início da pandemia. A taxa de letalidade está em 2,9%.

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 39.007 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 20.376 mortes, seguido por Ceará (9.325), Minas Gerais (8.827) e Pernambuco (8.587).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.103.582), Minas Gerais (353.311), Bahia (349.711), Rio de Janeiro (306.672) e o Ceará (272.104).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

 

 

 

Após repercussão negativa, Bolsonaro recua e revoga decreto que abria caminho para privatização do SUS

  • Redação*
  • 28/10/2020 18:36
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Jair Bolsonaro

Após enorme repercussão negativa nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta quarta-feira (28), que vai revogar, ou seja anular,  o decreto que abria caminho para possibilidades de privatização do Sistema Único de Saúde ( SUS ) . A decisão foi informada à CNN pelo próprio presidente.

À emissora, Bolsonaro disse que decidiu pela revogação depois da repercussão negativa que o decreto recebeu . Ainda assim, o presidente nega que os  estudos permitidos pelo decreto assinado por ele e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na última segunda-feira (26) pudessem levar à privatização do SUS .
 

Segundo Bolsonaro, o objetivo era permitir que pacientes do SUS pudessem ser atendidos por hospitais particulares. Ainda de acordo com a CNN, a revogação será publicada em edição especial do Diário Oficial da União  (DOU) nas próximas horas.

Entenda o caso

Um decreto publicado no DOU na quarta-feira (27) passou a permitir mudanças no investimento em Unidades Básicas de Saúde ( UBS ).
 

Com ele, a equipe econômica do governo federal ficou autorizada a incluir as UBS, conhecidas por serem a 'porta de entrada' do SUS , no Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República ( PPI ). O PPI é o programa do governo federal que trata de privatizações em diversos setores da economia.
 

O caso ganhou repercussão, recebendo fortes críticas da oposição e de órgãos de saúde. O governo se defendeu dizendo que o objetivo era "encontrar soluções para a quantidade significativa de Unidades Básicas de Saúde inconclusas ou que não estão em operação no país", a partir de parcerias público-privadas.

 

*Com Agências

 

 

 

Sogra de Lula morre, no dia do aniversário, por complicações da Covid-19 em São Bernardo do Campo

  • G1
  • 28/10/2020 18:22
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Lula e Rosângela Silva.

A sogra do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Vani Terezinha Ferreira, morreu nesta quarta-feira (28) por complicações decorrentes da Covid-19. Ela estava internada no Hospital de Clínicas de São Bernardo, no ABC Paulista. Vani era mãe de Rosângela Silva, atual mulher do petista.

Em nota, a assessoria de imprensa do ex-presidente informou que Vani completou 80 anos nesta quarta-feira, mesmo dia de sua morte.

A idosa pegou Covid-19 após precisar passar por uma internação durante um episódio de infecção urinária, segundo o texto divulgado. "Ela é mais umas milhares de vítimas brasileiras dessa doença terrível", diz outro trecho da nota.

A nota informa ainda que por conta da pandemia não haverá velório. "A família, nesse momento de tristeza, agradece o respeito à sua privacidade".

Rosângela e Lula fizeram vários testes para Covid-19 nas últimas semanas, desde que a doença de Vani foi diagnosticada. Todos os testes deram resultado negativo. "A família agradece a atenção e cuidado que a equipe do Hospital de Clínicas de São Bernardo tiveram durante todo o tratamento de Dona Vani", finaliza o texto.

Alemanha adotará lockdown de um mês em reação à disparada de covid-19

  • Agência Brasil
  • 28/10/2020 17:58
  • Brasil/Mundo

A Alemanha imporá lockdown emergencial de um mês, que inclui o fechamento de restaurantes, academias de ginástica e teatros para reverter um pico de casos de coronavírus que pode sobrecarregar os hospitais, disse a chanceler Angela Merkel, nesta quarta-feira (28).

"Precisamos agir agora", disse Meekel, acrescentando que a disparada recente no número de infecções gerou apoio político e público a novas medidas duras para reduzir os contatos sociais e conter surtos.

A partir de 2 de novembro, reuniões particulares serão limitadas a dez pessoas de, no máximo, duas casas. Restaurantes, bares, teatros, cinemas, piscinas e academias de ginástica serão fechadas, e shows serão cancelados.

Competições esportivas profissionais só poderão ser realizadas sem espectadores. As pessoas serão exortadas a não viajar por razões que não sejam essenciais, e pernoites em hotéis só estarão disponíveis para viagens de negócios.

Escolas e creches permanecerão abertos, assim como lojas, contanto que respeitem o distanciamento social e regras de higiene. As normas de âmbito nacional substituem uma colcha de retalhos confusa de medidas regionais.

Para tornar as medidas mais palatáveis, especialmente para empresas menores, a Alemanha oferecerá ajuda financeira para aqueles que forem prejudicados pela novas restrições.

Conforme um novo pacote de ajuda equivalente a US$ 11,82 bilhões, empresas com até 50 funcionários receberão no mês de novembro 75% da sua renda do mesmo período do ano anterior.

Além disso, trabalhadores autônomos, como artistas e assistentes de palco, terão acesso a empréstimos de emergência, e o governo ampliará um programa de liquidação existente para dar às pequenas empresas com menos de dez funcionários acesso a empréstimos muito baratos.

Maior economia da Europa, a Alemanha foi amplamente elogiada por manter as taxas de infecção e mortes abaixo das de muitos de seus vizinhos na primeira fase da crise, mas agora está no meio de uma segunda onda, como a maior parte do continente.

Os casos aumentaram em 14.964 e chegaram a 464.239 nas últimas 24 horas, disse o Instituto Robert Koch, a agência de doenças infecciosas alemã, nesta quarta-feira. As mortes aumentaram em 85 e chegaram a 10.183, intensificando o temor em relação ao sistema de saúde depois que Merkel alertou que ele pode chegar a um ponto de ruptura se as infecções continuarem a disparar.

Reino Unido pode disponibilizar vacina contra covid-19 antes do Natal

  • Agência Brasil
  • 28/10/2020 08:30
  • Brasil/Mundo
Divulgação
Crianças entre 0 e menores de 5 anos devem se vacinar; serão distribuídas mais de 700 mil doses para grupos prioritários

Uma vacina contra a covid-19 pode ser disponibilizada para algumas pessoas no Reino Unido antes do Natal, mas um lançamento no início de 2021 é o mais provável, disse Kate Bingham, a responsável pela aquisição de possíveis imunizantes no país, nesta quarta-feira.

"Se as primeiras duas vacinas, ou qualquer uma delas, mostrarem que são seguras e eficazes, acho que há uma possibilidade de que a disponibilização da vacina comece antes do Natal. Mas se não, acho que é mais realista esperar para o início do ano que vem", disse ela à BBC.

Morre segunda vítima após incêndio do Hospital Federal de Bonsucesso

  • Agência Brasil
  • 27/10/2020 20:46
  • Brasil/Mundo
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

Mais uma pessoa morreu após o incêndio que atingiu, na manhã desta terça-feira (27), o Hospital Federal de Bonsucesso (HFB). A informação foi confirmada no meio da tarde em nota divulgada pela assessoria do hospital.

As pacientes mortas estavam internadas em estado grave no centro de terapia intensiva (CTI) do HFB. Uma delas morreu quando estava sendo transferida para outra unidade de saúde. O hospital não deu, até o momento, mais informações sobre as duas vítimas.

“A direção do Hospital Federal de Bonsucesso informa que, até a chegada do Corpo de Bombeiros, a brigada de incêndio da unidade removeu 162 pacientes do Prédio 1 para o Prédio 2. O HFB esclarece ainda que 76 pacientes foram transferidos para outras unidades de saúde. Duas pacientes, que estavam em estado grave, no CTI, vieram a óbito”, diz a nota.

A prefeitura do Rio do Rio de Janeiro disponibilizou sua rede de hospitais municipais, que receberam, até o fim da tarde, 24 pacientes. O inquérito para apurar as circunstâncias do incêndio foi aberto pela Polícia Federal, que enviou ao local uma equipe de policiais, incluindo peritos criminais.

Paciente com Covid morre durante transferência após fogo em hospital

  • Terra
  • 27/10/2020 15:40
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução / GloboNews

Um incêndio de grandes proporções atingiu nesta terça-feira (27) o Hospital Geral de Bonsucesso, uma unidade de referência da zona norte do Rio de Janeiro, e uma paciente que estava internada com covid-19 morreu durante transferência para outra unidade, informaram autoridades.

O Corpo de Bombeiros informou que o fogo foi controlado no início da tarde, mas no prédio que pegou fogo havia 25 pacientes em estado grave que foram levados para outras unidades. Segundo os bombeiros e o hospital, uma paciente de 42 anos que estava na UTI destinada a pacientes com Covid morreu durante a transferência.

O incêndio teria começado em um prédio onde estariam cerca de 200 pacientes. Segundo relatos, houve pânico e correria entre pacientes, parentes, funcionários e profissionais de saúde.

O local precisou ser esvaziado às pressas por conta das chamas e da forte coluna de fumaça.

"A situação está complicada. Tem pacientes críticos graves que foram levados para o estacionamento do hospital onde não tem como ligar equipamentos e monitores... Tem profissional passando mal, o prédio foi todo evacuado, mas a fumaça chega ao outro prédio", disse a técnica de enfermagem Tassiana Cardoso.

"Foi um pânico e um desespero danado, só pensava em salvar meu filho", disse Ana Diniz, que estava com o filho de apenas 4 dias de vida, nascido no hospital.

Bombeiros de ao menos cinco quartéis foram acionados para conter as chamas.

Segundo o secretário de Defesa Civil do Estado, Leandro Monteiro, a unidade atingida pelo incêndio já tinha sido notificada duas vezes e houve dois autos de infração do Corpo de Bombeiros.

"Nós estávamos num processo de interdição do hospital, mas é humanamente impossível interditar um hospital com 400 a 500 leitos", disse.

 

Brasil tem 157.397 óbitos registrados e 5.409.854 diagnósticos de Covid-19

  • IG
  • 26/10/2020 18:45
  • Brasil/Mundo
Foto: Pixabay/Ilustrativa
Covid-19

A média móvel de mortes por Covid-19 se mantém estável no Brasil e permanece em 460 nesta segunda-feira (26). Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou mais 263 mortes causadas pelo novo coronavírus  (Sars-CoV-2), fazendo o total subir para 157.397.

Já o número de contaminações chegou aos 5.409.854 milhões. Desse total, 15.726 infectados só de ontem para hoje.

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 38.753 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 20.213 mortes, seguido por Ceará (9.279), Pernambuco (8.564) e Minas Gerais (8.779).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.092.843), Minas Gerais (349.512), Bahia (345.949), Rio de Janeiro (302.746) e o Ceará (270.577).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da  pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Desde o início da pandemia, mais de 41 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 1,1 milhão morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins. O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos de Covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

 

 

 

Vacinação “não é uma questão de Justiça”, mas de saúde, diz Bolsonaro

  • Agência Brasil
  • 26/10/2020 17:00
  • Brasil/Mundo
Reprodução
Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro criticou hoje (26) a judicialização sobre a obrigatoriedade da vacinação contra o novo coronavírus. “Temos uma jornada pela frente onde parece que foi judicializada essa questão. E eu entendo que isso não é uma questão de Justiça, isso é questão de saúde acima de tudo, não pode um juiz decidir se você vai ou não tomar vacina”, disse a apoiadores ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta segunda-feira.

Na semana passada, ao menos três ações foram ajuizadas no Supremo Tribunal Federal (STF), questionando a competência para impor vacinação contra a covid-19 e para que o governo federal seja obrigado a comprar as vacinas e medicamentos que forem aprovados pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). Diversos partidos políticos recorreram à Justiça após Bolsonaro afirmar que a vacinação não será obrigatória no Brasil e que o país não vai adquirir a vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan.

Por outro lado, o Ministério da Saúde assinou um protocolo de intenções para adquirir 46 milhões de doses da CoronaVac, com o objetivo de ampliar a oferta de vacinação para os brasileiros. O ministério já tinha acordo com a AstraZeneca/Oxford, que prevê 100 milhões de doses da vacina, e outro acordo com a iniciativa Covax, da Organização Mundial da Saúde, com mais 40 milhões de doses.

Bolsonaro citou ainda a notícia anunciada hoje pela Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca de que a vacina que estão desenvolvendo contra a covid-19 induziu, durante os testes, uma resposta imune tanto em jovens quanto em idosos. Para Bolsonaro, a notícia é promissora, mas é preciso aguardar a publicação dos resultados em revista científica. “O que a gente tem que fazer aqui é não querer correr, não querer atropelar, não querer comprar dessa ou daquela sem nenhuma comprovação ainda”, disse.

Médium João de Deus foi internado no Sírio Libanês, em Brasília

  • Agência Brasil
  • 24/10/2020 18:08
  • Brasil/Mundo
Foto: Metropole
João de Deus

O médium João de Deus deu entrada na madrugada deste sábado (24) no Hospital Sírio Libanês, em Brasília, onde encontra-se internado após ter sentido mal estar e incômodo no peito. Condenado a mais de 40 anos de prisão por estupro e porte de arma, João de Deus já está fazendo exames e sendo acompanhado pelos médicos do hospital.

Ele está em prisão domiciliar desde março, por pertencer ao grupo de risco de covid-19. O médium já vinha fazendo tratamento no Sírio Libanês há alguns anos, devido a um histórico de cardiopatia e de câncer no sistema digestivo. Segundo profissionais do hospital contatados pela Agência Brasil, o quadro é estável e não há qualquer relação da internação dele com a covid-19, conforme informado por veículos de imprensa.

As denúncias que resultaram na condenação de João de Deus foram feitas por diversas mulheres às quais o médium prestou atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO). Ele está preso desde dezembro de 2018.

Auxílio emergencial chegou a 29,9 milhões de domicílios em setembro, diz IBGE

  • Notícias ao Minuto
  • 24/10/2020 16:48
  • Brasil/Mundo
© Shutterstock
Auxílio emergêncial

O pagamento do auxílio emergencial alcançou menos domicílios em setembro, mas o valor médio recebido não caiu na mesma proporção que o valor do próprio auxílio pago à população. O auxílio emergencial chegou a 29,9 milhões de domicílios em setembro, ante 30,1 milhões em agosto. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid-19) mensal, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A proporção de domicílios que recebeu algum auxílio relacionado à pandemia diminuiu de 43,9% em agosto para 43,6% em setembro.

"Em relação à proporção de domicílios, pode ser uma variação amostral também, pra gente é igual (estatisticamente)", afirmou Maria Lucia Vieira, coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE.

O valor médio do benefício recebido foi de R$ 894 por domicílio em setembro, ante R$ 908 em agosto. O auxílio pago pelo governo desceu de R$ 600 em agosto para R$ 300 em setembro.

Na pesquisa, os auxílios pesquisados incluem não apenas o auxílio emergencial, mas também a complementação do governo pelo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, o que ajudava a explicar a incidência de recebimento de benefício entre domicílios com renda mais elevada.

"A gente não tem só auxílio aqui. A maior parte é auxílio, mas não é só ele", disse Maria Lucia. "Tenho aqui a primeira semana de coleta, a segunda semana também. Pode ser que não tinham recebido ainda o valor efetivamente de R$ 300 em setembro. Mas não tenho esse indicador por semana", justificou.

Na Região Norte, 59,8% dos domicílios recebiam algum tipo de auxílio, enquanto essa fatia era de 58,8% no Nordeste.

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado de R$ 38 milhões

  • Agência Brasil
  • 24/10/2020 08:30
  • Brasil/Mundo
Foto: Divulgação/ Internet
Mega Sena

A Mega-Sena sorteia neste sábado (24) um prêmio estimado de R$ 38 milhões.

O sorteio das seis dezenas do concurso 2.312 será realizado, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

O volante, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

É o terceiro e último sorteio da Mega-Semana da Sorte.

A Mega-Semana da Sorte ofereceu uma chance extra ao apostador, com três sorteios: o primeiro realizado na terça-feira (20), o segundo, na quinta-feira (22), e o último ocorre neste sábado (24). Para saber mais sobre como funcionam as Mega-Semanas, acesse o site da Caixa.

Caso apenas um apostador acerte os seis números da Mega-Sena e aplique todo o valor na Poupança da Caixa, receberá aproximadamente R$ 44 mil em rendimentos mensais. 

Edição: Fernando Fraga

Anvisa libera compra de 6 milhões de doses da vacina CoronaVac

  • IG
  • 23/10/2020 19:10
  • Brasil/Mundo
Foto: Agência O Globo
CoronaVac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, na tarde desta sexta-feira (23), a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

De acordo com a Agência, a autorização é apenas para a compra e não para a utilização. Essa segunda etapa precisa de uma nova aprovação da Anvisa após o fim da fase de testes clínicos. A previsão de chegada do material é o início de novembro deste ano. 

A expectativa é que, até o fim de dezembro, o Butantan consiga produzir as outras 40 milhões de doses, já que essas 6 milhões primeiras serão 100% produzidas na China. 

Ontem (22), o diretor do Butantan, Dimas Covas, denunciou que a Anvisa estaria "retardando" importação de matéria-prima da China. Mas, durante a coletiva do governo de São Paulo, realizada nesta sexta-feira (23), Covas disse que o cronograma estipulado pela gestão estadual para a produção da CoronaVac estaria mantido, independentemente de um suposto atraso da Anvisa em liberar a importação de matéria-prima da China.

Hoje (23), também por meio de nota, a Anvisa também negou que tenha atrasado o processo de liberação de insumos  para a produção da Coronavac. A Agência afirmou que "foram identificadas discrepâncias" no pedido e que essas questões foram comunicadas ao Instituto Butantan.

Mais centros de pesquisa

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira (23) que o governo de São Paulo criará seis novos centros de testagem da vacina CoronaVac, sob supervisão do hospital Emílio Ribas.

Quatro dos centros estarão em hospitais da periferia da capital, onde a taxa de contaminação é maior do que nos bairros centrais.

Além disso, outros dois centros serão criados em São Caetano do Sul, na Universidade Municipal que já possui local de testagem. "Nosso objetivo é aumentar a quantidade de voluntários para que possamos chegar mais rapidamente ao número de 61 contaminados e assim fazer a análise da vacina o mais rápido possível", afirmou Doria. O número de infectados é estabelecido pelos protocolos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Leia na íntegra a nota da Anvisa

"A Anvisa autorizou nesta sexta-feira (23/10) a importação de 6 milhões de doses da Vacina Adsorvida Covid-19 (inativa), fabricada por Sinovac Life Sciences Co. LTD. A solicitação foi feita pelo Instituto Butantã para importação, em caráter excepcional, de vacina adsorvida covid-19 (inativa), em estudo clínico fase III, ainda sem registro no Brasil. O tema foi discutido em Circuito Deliberativo, entre esta quinta e sexta-feira (22-23/10). O Circuito Deliberativo é uma instância de votação online dos diretores da Agência. A autorização contempla o regramento de importação".

Entenda

Na terça-feira (19), o Ministério da Saúde anunciou um investimento de R$ 2,6 bilhões para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac. Nas redes sociais, o governador João Doria comemorou a decisão e agradeceu ao Pazuello. 

Menos de 24 horas depois, o presidente Jair Bolsonaro desautorizou a decisão do ministro Eduardo Pazuello sobre a aquisição das doses.

Logo pela manhã, em suas redes sociais, o presidente já havia exposto sua insatisfação com a repercussão das negociações referentes ao acordo mediado pelo ministro Pazuello para compra da CoronaVac. Bolsonaro recebeu várias críticas de apoiadores e alguns se disseram "traídos".

Em resposta, disse que não compraria a "vacina chinesa de João Doria" e que o povo brasileiro não seria "cobaia".

Poucas horas depois, durante coletiva de imprensa, o secretário-executivo do ministério, Élcio Franco, negou qualquer acordo com o governo de São Paulo e disse que o que houve foi um "protocolo de intenção" assinado com o Instituto Butantan. Élcio reforçou que o governo não comprará vacinas vindas da China.

 

 

 

 

Com média móvel abaixo de 500, Brasil passa de 156 mil mortes por Covid-19

  • IG
  • 23/10/2020 18:50
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Coronavírus

A Média móvel de óbitos por Covid-19 cai, mas Brasil ultrapassa 156 mil de mortes por doença. Nas últimas 24 horas, o País registrou mais 569 novas mortes causadas pelo novo coronavírus  (Sars-CoV-2), fazendo o total subir para 156.469. Já o número de contaminações chegou aos 5.352.935 milhões. Desse total, 29.305 infectados só de ontem para hoje.

Média móvel de óbitos ficou abaixo de 500, com 465, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 38.608 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 20.115 mortes, seguido por Ceará (9.244), Minas Gerais (8.686), Pernambuco (8.531).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.083.641), Bahia (342.526), Minas Gerais (345.188), Rio de Janeiro (296.165) e o Ceará (269.165).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Desde o início da pandemia, mais de 41 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 1,1 milhão morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins.

O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos de Covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

 

 

 

Morre atriz e cantora Jane di Castro, no Rio de Janeiro

  • Agência Brasil
  • 23/10/2020 18:25
  • Brasil/Mundo

Considerada uma das pioneiras da representatividade transexual nos palcos do país, a atriz e cantora Jane di Castro morreu na noite de ontem (22), aos 73 anos, segundo a Direção do Hospital Federal de Ipanema (HFI), em decorrência de complicações de um câncer.

De acordo com o hospital federal, Jane Di Castro havia sido submetida a um procedimento cirúrgico no dia 8 de setembro e teve alta no dia 16 do mesmo mês. No dia 14 de outubro, porém, ela voltou a ser internada, devido à piora no seu estado de saúde. A direção do hospital informa que, desde então, ela estava sob tratamento medicamentoso, mas não foi possível reverter o avanço da doença.

Trajetória

Jane estreou nos palcos em 1966, quando participou do musical Les girls em Op Art, no Teatro Dulcina. Ao longo de sua carreira, a artista trabalhou com grandes nomes das artes cênicas e da música brasileira, como Bibi Ferreira e Ney Latorraca. Em entrevista ao programa Atos, da TV Brasil, no ano passado, a atriz lembrou as dificuldades que enfrentou no início da carreira, quando chegou a ser presa por ser transexual.

"Na época, era uma ferida aberta. Demorou muito a cicatrizar, mas não tem marca nenhuma. Ela cicatrizou totalmente. Hoje, eu sou feliz, porque a felicidade é a realização. Eu me realizei. Eu viajei o mundo como artista. A arte me trouxe essa possibilidade de conhecer o mundo, o Brasil", disse ela ao programa.

Sua história é contada também no documentário Divinas Divas, que conta como ela, Rogéria e outras artistas revolucionaram a moral da década de 1970 e conquistaram espaço apesar da repressão. A atriz também atuou no cinema e na televisão, onde esteve pela última vez na novela "A Força do Querer", da Rede Globo.

O ator Silvero Pereira, que atuou ao lado de Jane di Castro na novela, publicou uma homenagem em seu perfil no Twitter.

Jane di Castro era viúva desde 2018 e viveu durante mais de 50 anos com Otávio Bonfim, com quem formalizou o casamento em uma cerimônia coletiva voltada à população LGBT em 2014. Considerada uma figura importante na luta pelo respeito à diversidade, a atriz transexual tinha papel de destaque na Parada LGBTI de Copacabana, sendo responsável por cantar o Hino Nacional todos os anos a convite do Grupo Arco-Íris (GAI), organizador da manifestação. O coordenador do grupo, Cláudio Nascimento, lamentou que "morreu a grande diva da Cidadania e Cultura LGBT".  

"Eu e Jane Di Castro tínhamos uma forte amizade, desde o fim dos anos 80. Sempre esteve comprometida com a nossas lutas por direitos. É a grande diva da Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro e integrante do Conselho Consultivo do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBTI", afirmou. "Jane deixa um enorme legado artístico que nossa comunidade precisará valorizar e divulgar".

O GAI decretou luto de três dias e pretende realizar uma homenagem virtual à atriz na próxima terça-feira (28), às 19h, e também uma cerimônia interreligiosa comunitária de sétimo dia para que os amigos, fãs e admiradores possam celebrar sua memória.

Covid-19: Em meio à discussão por vacina, Brasil volta a registrar mais de 30 mil casos em 24h

  • IG
  • 22/10/2020 18:42
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução / Internet
Material coletado para teste de coronavírus

Em meio à "guerra da vacina", protagonizada principalmente pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o Brasil voltou a registrar mais de 30 mil casos de Covid-19 em 24 horas. 

O País mantinha o número de novos casos abaixo de 30 mil desde o dia 7 de outubro. Já a média móvel de óbitos ficou abaixo de 500, com 491, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Nas últimas 24 horas, o Brasil contabilizou 33.862 novos infectados e o número de contaminações chegou aos 5.332.634 milhões. Já as mortes causadas pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) chegaram a 155.900. Desse total, 498 novos óbitos só de ontem para hoje.

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 38.482 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 20.021 mortes, seguido por Ceará (9.243), Minas Gerais (8.621) e Pernambuco (8.527).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.076.939), Minas Gerais (343.159), Bahia (340.665), Rio de Janeiro (295.021) e o Ceará (268.274).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da  pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de 41 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 1,1 milhão morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins.

O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos de Covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

Na terça-feira (19), o Ministério da Saúde anunciou um investimento de R$ 2,6 bilhões para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac. Nas redes sociais, o governador João Doria comemorou a decisão e agradeceu ao Pazuello. 

Menos de 24 horas depois, o presidente Jair Bolsonaro desautorizou a decisão do ministro Eduardo Pazuello sobre a aquisição das doses.

Logo pela manhã, em suas redes sociais, o presidente já havia exposto sua insatisfação com a repercussão das negociações referentes ao acordo mediado pelo ministro Pazuello para compra da CoronaVac. Bolsonaro recebeu várias críticas de apoiadores e alguns se disseram "traídos".

Em resposta, disse que não compraria a "vacina chinesa de João Doria" e que o povo brasileiro não seria "cobaia".

Poucas horas depois, durante coletiva de imprensa, o secretário-executivo do ministério, Élcio Franco, negou qualquer acordo com o governo de São Paulo e disse que o que houve foi um "protocolo de intenção" assinado com o Instituto Butantan. Élcio reforçou que o governo não comprará vacinas vindas da China.

Doria reagiu e pediu grandeza em relação à polêmica envolvendo a vacina CoronaVac e disse que a "guerra" precisa ser contra o novo coronavírus. "Aproveito para pedir ao presidente que tenha grandeza e lidere o Brasil na saúde, na retomada de empregos... A nossa guerra é contra o vírus, não na política e não um contra o outro. Devemos vencer o vírus", postou.

 

 

Caixa libera saques do auxílio para 3,8 milhões de beneficiários

  • Agência Brasil
  • 22/10/2020 13:33
  • Brasil/Mundo
Foto: Assessoria
Agência da Caixa Econômica Federal

A partir desta quinta-feira (22), cerca de 3,8 milhões de beneficiários do auxílio emergencial nascidos em novembro podem sacar ou transferir os recursos da poupança social digital.

Para sacar os recursos, é preciso fazer o login no App Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”. Depois, o cidadão deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora.

O código deve ser utilizado nos caixas eletrônicos da Caixa, nas unidades lotéricas ou nos correspondentes CAIXA Aqui.

Atendimento

Os saques em dinheiro podem ser feitos nas lotéricas, correspondentes Caixa Aqui ou nas agências. A Caixa reforça que não é preciso madrugar nas filas à espera de atendimento. Todas as pessoas que comparecerem, de segunda a sexta, das 8h às 13h, serão atendidas no mesmo dia.

Bolsa Família

A Caixa realiza, hoje (22), o pagamento de R$ 420,9 milhões referente à segunda parcela do auxílio emergencial residual para 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família com final de NIS (Número de Identificação Social) número 4.

Ao todo, mais de 16 milhões de pessoas cadastradas no programa Bolsa Família foram consideradas elegíveis para a segunda parcela do auxílio emergencial residual e receberão, no total, R$ 4,2 bilhões durante o mês de outubro.

O recebimento do auxílio atende aos mesmos critérios e datas do benefício regular, permitindo a utilização do cartão nos canais de autoatendimento, unidades lotéricas e correspondentes Caixa Aqui; ou por crédito na conta Caixa Fácil.

A extensão do auxílio emergencial é de R$ 300 ou R$ 600, no caso de mulher provedora de família monoparental. Se o valor do Bolsa Família for igual ou maior que R$ 300 ou R$ 600, o beneficiário receberá o valor do Bolsa Família, sempre privilegiando o benefício de maior valor.

Papa Francisco defende união civil entre gays:'Eles são filhos de Deus'

  • Estadão
  • 21/10/2020 22:01
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Papa Francisco

O papa Francisco aprovou as uniões civis entre pessoas do mesmo sexo pela primeira vez como pontífice. O fato ocorreu quando ele foi entrevistado para o documentário "Francesco", que estreou no Festival de Cinema de Roma nesta quarta-feira, 21.

O apoio papal apareceu no metade do filme, que investiga as questões que mais preocupam Francisco, como meio ambiente, pobreza, migração, desigualdade racial e de renda, e aqueles mais afetados pela discriminação.

"Os homossexuais têm o direito de ter uma família. Eles são filhos de Deus", disse Francisco em uma de suas entrevistas para o filme. "O que precisamos ter é uma lei de união civil, pois dessa maneira eles estarão legalmente protegidos."

O jesuíta que mais fez para construir pontes para os gays na Igreja, o padre James Martin, elogiou as observações do pontífice como "um grande passo adiante no apoio da Igreja à comunidade LGBT". "O pronunciamento do papa em favor das uniões civis também é uma mensagem forte para lugares onde a Igreja se opôs a essas leis", disse Martin em um comunicado.

Incêndio atinge shopping no Bairro Jardins em Aracaju

  • G1/SE
  • 21/10/2020 21:40
  • Brasil/Mundo
Reprodução

Um incêndio foi registrado no Shopping Jardins, na noite desta quarta-feira (21), em Aracaju.

Segundo o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), equipes do Corpo de Bombeiros já estão no local e ainda não têm como definir a dimensão do incêndio.

A assessoria de comunicação do shopping informou que o incêndio começou por volta das 18h, no depósito de uma loja de sapatos. Ainda de acordo com a assessoria, o Corpo de Bombeiros foi prontamente acionado e, como medida urgente de segurança, o shopping foi evacuado. Até as 21h18, não havia registro de feridos. O Corpo de Bombeiros continua atuando.