35f681d2 10ea 4fe5 823b 6de1cea97d30

Após a morte de um bebê por suposta falta de atendimento na Unidade Mista Nossa Senhora das Graças, o prefeito de Teotônio Vilela, João José Pereira Filho abriu sindicância investigativa para apurar possíveis irregularidades nas condições de atendimento médico à gestante Maria Quitéria de Oliveira Moreira. A decisão foi publicada na edição da quinta-feira, dia 21, do Diário Oficial dos Municípios.

Segundo a publicação “a comissão terá um prazo de 30 dias para concluir a apuração dos fatos, dando ciência dos mesmos à administração Municipal e o relatório servirá de base para uma decisão fundamentada uma vez que é dever da administração Pública, apurar fatos que contenham indícios de infrações disciplinares cometidas por servidores públicos”.

 O caso

Ao constatar a morte de seu segundo filho ocorrida na madrugada da terça-feira, dia 19, na Maternidade Santa Mônica, o pai da criança, que mora na cidade de Teotônio Vilela,  usou as redes sociais para expressar sua tristeza e revolta depois de ter passado por quatro unidades de saúde com sua esposa sem encontrar o tratamento adequado.

Na sua postagem, o pai do bebê comentou que teria levado a esposa ao hospital de Teotônio Vilela e mesmo tendo perda de líquido ela foi “mandada para casa para esperar o parto normal”.

Em nota publicada numa rede social, Izabelle Monteiro Alcântara Pereirall, secretária de Saúde do município, lamentou o ocorrido e se colocou à disposição para “prestar os esclarecimentos que se fizerem necessários, inclusive com a devida abertura de inquérito administrativo para apuração dos fatos e aplicação de possíveis penalidades”.

Ainda segundo a secretária de saúde do município e a direção do hospital “todo o transporte foi feito em ambulância oficial, acompanhada por profissional de saúde e familiar da paciente, bem como toda a história clínica devidamente documentada. Assim, vale salientar que nas dependências do Hospital Municipal Nossa Senhora das Graças em Teotônio Vilela,  a paciente recebeu todos os cuidados necessários e possíveis, em tempo oportuno e de acordo com os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde e OMS. Diferente do noticiado nas redes sociais, não houve negligência, imperícia, imprudência, omissão ou qualquer outra conduta que possa justificar o bombardeio de informações e críticas a Gestão Hospitalar”.

A maternidade Santa Mônica, por meio de sua assessoria de Comunicação informou que a paciente Maria Quitéria de Oliveira Moreira advinda do município de Teotônio Vilela chegou à unidade de saúde após passar pela Maternidade Nossa Senhora de Fátima, quando, de acordo com informações do encaminhamento no prontuário, o bebê já se encontrava sem batimentos cardíacos.