Ec55f0e7 5975 40a1 8166 c7c67cfad053

No mês que se comemoram os festejos juninos, a população está mais exposta aos riscos de sofrer queimaduras ao montar fogueiras ou ao soltar fogos de artifício. Quando acidentes desse tipo acontecem com gravidade, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) pode ser acionado através do número 192, visando realizar os primeiros socorros e deslocar a vítima até o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, ou para o Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca.

De acordo com Carlos Adriano Silva, médico do Samu, esse tipo de acidente acontece quando não se toma o devido cuidado na hora de acender as fogueiras ou soltar os fogos de artifícios. “Pelo uso exagerado de substancias inflamáveis, como álcool, querosene ou gasolina, no momento da confecção, existe a possibilidade de, ao acender a fogueira, haver uma pequena explosão. Outro tipo de acidente corriqueiro está em relação aos fogos de artifício, que, em razão de não serem de qualidade, ou por falta de cuidado das pessoas, ocasionam graves lesões, que podem levar a amputações”, alertou o médico.

Ainda segundo Carlos Adriano Silva, as queimaduras consideradas graves são aquelas que atingem mais de 30% do corpo da vítima, e podem trazer complicações respiratórias e circulatórias. “Em ocorrências com pacientes queimados, damos uma atenção redobrada quando as regiões afetadas pelas chamas são a face e tórax. É por essas áreas que iremos avaliar as condições das vias aéreas e a respiração do paciente, que pode ter inalado fumaça ou fuligem, o que acaba reduzindo disponibilidade de oxigênio para os tecidos. Então, nesses casos entubamos e fornecemos o máximo de oxigênio à vítima”, salientou.

Em seguida, segundo o médico do Samu, é analisada a perda volêmica do paciente, que acontece por causa da perda de líquido, em decorrência da queimadura. “Por isso, administramos soros para compensar essa perda. Também administramos remédios analgésicos para aliviar as dores e cobrimos o paciente para manter a temperatura corporal, até a chegada ao CTQ no HGE, ou no Hospital de Emergência do Agreste”, explicou, ao informar que, entre meses de janeiro de 2017 a maio de 2018, o Samu atendeu 68 vítimas de queimaduras.

Queimaduras Leves – Em casos de queimaduras leves, Carlos Adriano da Silva informa que o Samu faz uma orientação por telefone, onde a vítima é orientada a colocar água corrente em cima do ferimento e nunca utilizar creme dental, manteiga ou qualquer outro tipo de substância. Além disso, o paciente deve procurar uma unidade de saúde mais próxima do local do acidente, podendo ser uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Ambulatório 24 Horas e um posto de saúde para que os profissionais avaliem a lesão e indique o tratamento adequado.