Ae474e1d 722c 44e4 83d6 b6e7807ec1f1

A eleição de 2018 pode distanciar dois grandes nomes da política no interior de Alagoas. Aliados por quase 20 anos, a ex-prefeita de Arapiraca, Célia Rocha e o vice-governador e secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, correm o risco de estar em palanques diferentes no pleito do ano que vem. 

O fato é que Célia, que já administrou a segunda maior cidade do Estado por três mandatos, anunciou que será candidata a deputada estadual e tem vários motivos pessoais para não ficar ao lado do senador Renan Calheiros (PMDB) e consequentemente do filho, Renanzinho, governador de Alagoas. 

Em tese, Célia Rocha vai para a disputa de uma das vagas na Assembleia Legislativa (ALE), mas na condição de oposição ao governo o que a deixará, momentaneamente, afastada do ex-prefeito Luciano Barbosa. Este que pode repetir a dobradinha do PMDB e ser mantido na chapa de Renan Filho que buscará renovar o mandato por mais quatro anos. No plano B, Luciano sairia como candidato a federal. 

Nesta condição, Célia terá ainda motivos de sobra para se reaproximar do prefeito de Arapiraca, Rogério Teófilo (PSDB), o qual sempre teve grande amizade e estima. Aliados políticos num passado recente, Célia e Rogério podem se unir e formar uma chapa que teria como candidato ao governo o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, ao senado o ex-governador Teotônio Vilela Filho e outro nome (a definir), além de Rodrigo Cunha e Severino Pessoa como candidatos a deputado federal.  

Rogério terá ainda que encontrar espaço para o filho, Moacir Neto, que também será candidato a deputado estadual. Já o outro nome para a disputa ao Senado pode ser Benedito de Lira (Biu) que tem colaborado com a gestão tucana em Arapiraca desde o início do atual mandato.