940842b9 8dfc 476f 8009 db7c9cbb91b3

O Tribunal do Júri da 5ª Vara Criminal de Arapiraca absolveu, nesta segunda-feira (28), por clemência, o réu Caio César Born Muniz da Silva, acusado de tentativa de homicídio em 2010. Os jurados acolheram a tese da defesa de que o réu estava sob efeitos de drogas e não sabia o que estava fazendo. O julgamento foi conduzido pelo magistrado Alfredo dos Santos Mesquita.

De acordo com a denúncia, no dia 10 de setembro de 2010, por volta das 20h30, Caio César Born tentou matar Igor Antônio Lúcio da Silva e ocasionou lesões corporais no amigo da vítima, Allan Lúcio de Oliveira Magalhães.

Ainda segundo os autos, Igor Antônio estava no quintal de sua residência com Allan Lúcio quando Caio César, que é filho do padrasto de Igor, chegou. Na ocasião, Igor foi até a cozinha e Caio César o seguiu, sem discussão aparente, Caio o esfaqueou com diversos golpes de faca peixeira. O homicídio não foi consumado porque Allan Lúcio entrou em luta corporal com Caio César, que mesmo ferido, conseguiu desarmá-lo. Em seguida, um vizinho também teria chegado ao local para ajudar a conter o réu.

“Considerando que o Tribunal do Júri, soberano em suas decisões, decidiu que o réu Caio César Born Muniz Garcia, deve ser absolvido do crime a ele imputado, julgo improcedente o pedido formulado pela acusação e absolvo o réu, nos termos do Art. 386, VI, do CPP”, sentenciou o juiz Alfredo Mesquita.