F25b326e 900a 4655 86c3 006c34d2568f

Aguardando o ex-presidente Lula para entregar o título de Doutor Honoris Causa, nesta quarta-feira (23), concedido pela Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), o reitor Jairo Campos falou sobre a lei de cotas e disse que o governo brasileiro precisa criar vergonha na cara e educar o povo com escola em tempo integral. Além disto, Jairo comentou sobre a ação popular que pedia a suspensão da solenidade.

Quando perguntado sobre a questão das cotas, o reitor disse que houve avanços, mas ainda os indicadores são desafiadores para a educação brasileira. “Acho que a cota é um paliativo para recuperar dívidas históricas contra alguns segmentos, sobretudo, o campo dos pobres”, comentou.

Além disto, Jairo disse que é ‘óbvio’ que o Brasil não vai passar a vida inteira com lei de cotas. “Vai chegar um dia que o país vai educar bem seu povo para não ser preciso lei de cotas, mas enquanto não educa bem o povo, a lei de cotas é uma forma de garantir a democratização de acesso dos pobres, índios e negros a educação pública de qualidade”, ressaltou.

Para o reitor, a educação brasileira ainda é um desafio e ainda é preciso percorrer um longo caminho para avançar. “A valorização do magistério, a escola em tempo integral, a infraestrutura, a educação das famílias, é um processo de geração de renda, de elevação da qualidade de vida das pessoas que reflete na educação”, citou.

Justiça

O reitor comentou sobre a decisão da ação popular que pedia a suspensão do título que será concedido a Lula nesta quarta-feira (23).

Segundo Jairo, a sociedade tem o direito de se manifestar e a justiça vai dizer o que de fato deve ser feito. “Se o juiz indeferiu o processo, ótimo! Se ele tivesse dito que não era pra conceder o título, também não daríamos. Determinação do Juiz é o que vale”, enfatizou.