6a8a102c 4f2f 4f3b 89a4 f0df3091f198

Com apenas um ano e dez meses de funcionamento e um custo de R$ 503.412,92 aos cofres públicos, a Unidade Básica de Saúde da comunidade Poção, zona rural de Arapiraca, foi interditada na manhã desta segunda-feira (24) sob o risco de desabamento.

Inaugurada no dia 16 de outubro de 2015, pela gestão anterior, a Unidade começou a apresentar defeitos já nos primeiros dias de funcionamento.

Com os problemas agravados após as fortes chuvas que caíram nos últimos dias, a Secretaria Municipal de Saúde resolveu interditar o local e acionar a Construtora Terra Nova, empresa responsável pela obra.

Somente no primeiro ano o prédio foi retelhado quatro vezes, medida paliativa não suficiente para resolver os problemas de infiltração, mofo e rachaduras nas paredes, além de goteiras e alagamentos em, praticamente, todas as salas.

A Unidade é responsável pelo atendimento a mais de 800 famílias da região e, segundo a secretária Aurélia Fernandes, outras unidades entregues no final da gestão passada encontram-se em situação semelhante.

“Esse problema vem sendo enfrentado por outras Unidades recém inauguradas, a exemplo das localizadas nos bairros Nilo Coelho, João Paulo II e Verdes Campos. No caso do Poção, o prédio praticamente derreteu com a chuva”, lamentou a secretária Aurélia Fernandes.

Toda a mobília e equipamentos da UBS Poção foram transferidos para o antigo posto de saúde daquela comunidade que, apesar de ser um prédio velho encontra-se em melhores condições e não oferece risco de desabamento.

De acordo com a gerente da Unidade, a assistente social Girlene Ferreira de Lira, a mudança não trará qualquer prejuízo aos usuários. “Iremos nos adequar de forma provisória, mas mantendo a mesma qualidade do atendimento, frisou a gerente.

Funcionários da Construtora já iniciaram os reparos e a previsão é que os trabalhos sejam concluídos em 30 dias.