Efca4f40 8dec 41f2 9d2d d91f366ae76c

O ostracismo e, por vezes, o ócio têm suas vantagens. É nesse período desconectado que se cria mais, que a inventividade vem de forma natural. E esse processo é necessário em todas as esferas – sobretudo na vida moderna.

E foi isso o que aconteceu com a campeã deste ano do Concurso de Resgate às Tradições Juninas, hoje em sua 15ª edição.

A Canarraiá estava afastada por motivos de regulamento, porque a então gestora da Secretaria de Cultura era residente do bairro Canafístula, o qual também abriga o arraiá.

Mas este ano, as coisas mudaram: o secretário Municipal de Cultura, Lazer e Juventude (SMCLJ), Silvestre Rizzatto, não mora por lá e a Canarraiá voltou ao páreo.

Por méritos graças ao envolvimento dos moradores, dos quadrilheiros, pais e temáticas abordadas (veja como foi aqui), ela levou o troféu para a comunidade na noite desta quarta-feira (27) em um evento realizado no Arraiá Centrá, montado no Mercado do Artesanato Margarida Gonçalves, bairro do Centro.

No local, ocorreu a apuração dos votos das 14 comunidades e bairros visitados este mês durante o “São João: Arapiraca Virou Xodó”. Representantes dos arraiás estavam por lá esperando saber as entrelinhas do resultado.

A comissão julgadora analisou os seguintes itens: participação, envolvimento e organização; ambientação, decoração, comidas típicas e criatividade; e folguedos juninos, quadrilha junina, animação e dramatização. E a Canarraiá ficou cerca de 9 pontos à frente da segunda colocada, o Arraiá Lengo Tengo, do bairro Brasília, respectivamente com 119,6 pontos e 110,7. A terceira foi o Arraiá Caxi na Roça, da comunidade Poção, com 106,3 pontos.

Todos os três receberam troféus de participação, sendo a campeã premiada com 1 voucher para um dia de passeio nos canyons do Rio São Francisco, com direito a um acompanhante e um 1 kit coringa extra. Os dois itens serão sorteados entre os integrantes.

“Achei muito melhor nesse modelo sem premiação em dinheiro. Assim as pessoas trabalham visando o verdadeiro resgate cultural, sem vislumbrar grana alguma no final das contas. E nós fizemos a nossa parte, envolvendo todo mundo do bairro. Para se ter uma ideia, 70% do nosso corpo de dança é da comunidade”, diz o vice-presidente do arraiá, Anderson Correia.

Segundo ele, a pausa da Canarraiá durante a gestão anterior deu novo fôlego. “Voltamos por conta também das crianças. Elas e os pais estavam insistindo e trouxemos um tema esse ano que usávamos por conta delas: ‘Alice no País do São João’. Tem uma pegada lúdica e as elas se identificam logo. Estamos muito felizes por isso ter se concretizado em um primeiro lugar”, conta ele.

De fato, o que se pôde ver no último dia 23, véspera de São João, foi um circuito de prós para o bairro da Canafístula, com a Dança dos Bonecos, coco de roda Coroca – que já tem 12 anos –, a Canarraiá Kids e a quadrilha estilizada Canarraiá; foi uma unidade de pensamento, sentimento e quereres.

“E em agosto já vamos começar a pensar no próximo tema, o do São João de 2018”, completa o vice-presidente Anderson Correia.

A sintonia parecia ser a mesma com o incentivador cultural e organizador do Arraiá Balança Mas Não Cai, Eduardo Kellvy Rodrigues. “O desejo é que o ano que vem chegue logo. É a melhor época do ano e sempre primamos por resgatar essa saudade nos nossos pequenos. Estão de parabéns a Prefeitura e quem apoiou mais uma vez esse evento”, conta.

Para Jorge Gerônimo, o “Jorge do Leite”, morador do bairro Zélia Barbosa Rocha e “torcedor” pelo Arraiá Luar do Sertão, o que mais valeu foi a não violência permeando os dias do 15º Concurso de Resgate às Tradições Juninas. “Era um ambiente onde as famílias podiam ir assistir tranquilamente. Minha filha dançou e até ganhou o concurso de Rainha do Milho”, revela ele sobre a jovem estudante de 17 anos, Vitória Ferreira, eleita no último domingo (25) no concurso de beleza ocorrido no Arapiraca Garden Shopping (confira aqui).

Esse foi o grande sentido dos festejos juninos, segundo o secretário Silvestre Rizzatto. “Foi e está sendo um São João de muita união, de muito aconchego. Por isso quisemos fazer algo nos moldes atuais e homenageando esse grande mestre, o baluarte Afrísio Acácio do Acordeon. Uma pessoa íntegra, um exímio instrumentista, compositor, declamador e poeta vaqueiro que muito nos orgulha”, pontua.

Na oportunidade, Afrísio recebeu diversas homenagens e até um troféu simbólico por todo o seu trabalho semanal de resgate da cultura local e matuta. Ao lado da esposa, a dona Alcina, ele fez um lindo aboio e logo chamou “Sua Gente” para o acompanhar no arrasta-pé – o prestigiado Enoque do Acordeon, de Pernambuco, estava presente dando o ar da graça e tocando diversos sucessos.

Receberam prêmios também os 2º e 3º lugares no Rainha do Milho, Carla Cawanne Alves, do Arraiá Balança Mas Não Cai, do bairro Santa Edwiges – representada por Eduardo Kellvy – e Shirlanny da Silva, do Arraiá Baile na Roça, da comunidade rural Itapicuru.

Estiveram presentes também a presidente do CDL, Tânia Núbia Albuquerque, e a coordenadora de Comunicação, Publicidade e Propaganda do Grupo Coringa, Kilma Marques, ambas instituições que acreditaram no São João de Arapiraca ao lado do Arapiraca Garden Shopping e o Unicompra.