Ascom CSA 14929927233161

O equilíbrio era a palavra que definia o confronto. ASA e CSA já haviam empatado em Maceió no meio de semana e por ter melhor campanha, o time alvinegro tinha a vantagem de dois resultados iguais, por isso, jogava pelo empate.

O CSA não mostrava nenhuma revolução, mas partia para cima do ASA conseguiu uma grande chance aos 6 minutos. Falta que não era muito próxima da área, mas Rafinha se encarregou de mandar um chutaço e acertou o canto direito do goleiro Luis Cetin, abrindo o placar e fazendo a festa da torcida do CSA que compareceu em grande número.

A equipe azulina jogava de forma consciente e com a vantagem do placar, esperava o ASA tomar a iniciativa e jogar nos contra-golpes. Quando a bola chegava, o goleiro Motta estava atento. Bola na área, Montoya cabeceou e o goleiro marujo fez a primeira grande defesa.

Na reta final do primeiro tempo, o CSA aproveitou alguns vacilos do ASA. Primeiro, Rafinha mandou outro belo chute e assustou o goleiro alvinegro. Na segunda chance, já no último minuto, Thiago Potiguar recebeu na entrada da área, tinha o gol aberto, mas mandou rasteiro, nas mãos do goleiro rival.

Veio o segundo tempo e as emoções começaram cedo. Logo nos primeiros minutos, Leandro Kível recebeu bola na área e bateu forte, para defesa espetacular do goleiro Motta, que cresceu a frente do artilheiro.

O CSA havia recuado muito e chamava o ASA para o campo de defesa. Dessa forma, o goleiro Motta seria exigido. Léo Campos abriu espaço fora da área e encontrou o espaço para bater e exigir grande defesa do arqueiro azulino.

O tempo passava, o ASA tinha pressa e numa chance desperdiçada pelo CSA com Didira e Thiago Potiguar, o time alvinegro tentou retomar o jogo. Mazinho e Potiguar se desentenderam e o árbitro expulsou os dois atletas.

Os dois treinadores resolveram ajustar algumas peças após as expulsões e quem se deu melhor foi o CSA. Aos 27 minutos, Everton Heleno fez a sua tradicional arrancada e deixou Rayro na boa e na saída do goleiro Cetin, deixou de lado para Didira, ídolo do ASA e hoje no CSA, para ampliar o placar para equipe do Mutange.

Muita festa da torcida do CSA em Arapiraca, mas que foi brevemente parada com uma penalidade marcada para o ASA. Motta tocou Jefferson Baiano na área e o pênalti foi marcado. Leandro Kível bateu rasteiro no canto direito e o goleiro azulino fez mais um “milagre”, defendendo e mandando para a linha de fundo.

A reta final se aproximava, o ASA se lançava ao ataque e deixava espaços. Em uma tentativa, o CSA ganhou falta e Everton Heleno mandou no travessão. Minutos depois, mais precisamente aos 46 minutos, o ASA teve a sua última chance e Thiago Souza mandou para o fundo das redes.

Os minutos seguintes foram de pressão, mas o CSA garantiu a vitória e a vaga na decisão.